Segurança da Rio+20 terá 15 mil homens, entre militares e policiais

Esquema contará com 29 helicópteros, três com câmeras. Cinquenta e duas equipes farão escolta dos mais de 100 chefes de Estado

Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro |

Raphael Gomide
Adriano Pereira Júnior, comandante militar do Leste
A segurança da Rio+20 (Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável) terá 15 mil homens, entre militares das três Forças Armadas, policiais – militares, civis, federais e rodoviários federais – e guardas municipais. A operação ficará sob o comando do general-de-exército 

A escolta de autoridades – mais de cem chefes de Estado e de governo estarão na cidade – será feita por 52 equipes especializadas e 416 batedores, acompanhados por 29 helicópteros, três deles com câmeras. O reforço ficará entre 5 e 29 de junho e terá como focos a orla carioca – da Ilha do Governador ao Recreio dos Bandeirantes –, além da Quinta da Boa Vista e Aterro do Flamengo, onde terá lugar a Cúpula dos Povos, evento paralelo.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira, em entrevista na sede do CML, onde ficará o Centro de Coordenação de Operações de Segurança da Rio+20. As imagens dos helicópteros e de cerca de 550 câmeras instaladas na cidade poderão ser vistas desse centro de controle, que reunirá até 55 representantes de órgãos de segurança. Blindados militares podem vir a ser usados em “pontos fortes”, lugares estratégicos da cidade, para efeitos de visibilidade e dissuasão.

A área do Riocentro, onde ocorrerá o segmento de alto nível, a cúpula com a presença dos chefes de Estado e de governo – entre 20 e 22 de junho –, ficará sob responsabilidade da ONU.

Como no caso da Rio 92, conferência sobre o clima que teve o Rio como sede há 20 anos, a segurança será coordenada pelo Exército. As tropas da Marinha, Exército e Aeronáutica empregarão efetivo de 8 mil homens, respondendo pelo maior número de efetivo.

A PM do Rio terá 2.500 policiais a mais que o seu número normal, voltados especificamente para o evento; a Polícia Federal atuará mais especificamente na segurança de autoridades, com 1.400 agentes e delegados; a Polícia Rodoviária Federal usará efetivo semelhante para reforçar as rodovias de acesso. Caberá ao Corpo de Bombeiros inspecionar os locais de eventos e hotéis; a Polícia Civil terá duas delegacias abertas temporariamente no Riocentro e no Aterro.

    Leia tudo sobre: Rio+20Rio20segurança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG