Enterrado corpo de PM que fazia segurança do prefeito de Mesquita

Sargento esperava o político quando foi assassinado por dois homens armados

iG Rio de Janeiro |

Cerca de 300 pessoas acompanharam na manhã desta terça-feira (22) o enterro do corpo do sargento da Polícia Militar Luciano do Amaral Salles, de 35 anos, no cemitério Jardim da Saudade, no município de Mesquita, na Baixada Fluminense. O PM era segurança do prefeito da cidade, Artur Messias, e foi morto ontem em frente à casa do político .

Em nota, o prefeito de Mesquita lamentou a morte de seu segurança, com quem trabalhava havia sete anos. “Era calmo, tranquilo, carinhoso, respeitador e amigo de todos. Conhecido por seu sorriso, sua morte causou grande comoção na cidade, e muita tristeza em todas as pessoas que trabalharam com ele ou que conviveram com essa pessoa tão prestativa”, declarou Messias, no comunicado.

Assista: Câmeras de segurança mostram assassinato do sargento da PM

O assassinato ocorreu por volta das 6h de segunda-feira (21). O PM aguardava dentro do carro o prefeito, no bairro Vila Emil, quando foi surpreendido por dois homens armados que tentaram levar seu automóvel. Ao sair do carro, Sales teria reagido e foi atingido por pelo menos quatro tiros. A pistola do policial foi roubada.

A vítima chegou a ser levada para o Hospital Juscelino Kubitschek, em Nilópolis, também na Baixada Fluminense, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O PM era lotado no 15°BPM (Duque de Caxias) e estava havia dez anos na corporação. A 53ª DP (Mesquita) investiga o caso. A princípio, a polícia descarta relação do crime com o prefeito e trabalha com a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte).

    Leia tudo sobre: policialassaltomesquitaassassinatoviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG