Policiamento durante a Rio+20 será dobrado

Segundo a Secretaria de Segurança, serão 3 mil agentes a mais do que o empregado diariamente

iG Rio de Janeiro |

O efetivo das polícias estaduais será dobrado durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que vai ocorrer entre os dias 13 a 22 de junho. Serão cerca de três mil policiais a mais por dia, entre civis e militares, trabalhando no esquema de segurança.

Veja o especial da Rio+20

Para viabilizar esse reforço no policiamento, o Estado vai utilizar pela primeira vez o Regime Adicional de Serviço (RAS) que permite que policiais e bombeiros de folga sejam convocados para trabalhar em situações especiais e recebam pelas horas extras cumpridas. A remuneração varia de acordo com o turno trabalhado e a hierarquia. Por 12 horas de trabalho, superiores receberiam R$ 375; oficiais ganhariam R$ 300; e o pagamento para os demais seria de R$ 225.

"Antes o policial de folga era escalado para trabalhar em eventos como o Réveillon, por exemplo, sem receber nada a mais. O RAS é uma medida de gestão pessoal que nos permitirá ter mais policiais à disposição e vamos pela primeira vez remunerar esse esforço extraordinário.", afirmou o superintendente de Planejamento Operacional da Secretaria de Segurança, Roberto Alzir, ressaltando que o policiamento habitual da capital e do interior do estado não será alterado.

As comunidades pacificadas – que vão receber visitas de delegações estrangeiras – também terão aumento no efetivo através do remanejamento de horários de serviço dos policiais.

Como se trata de um evento de interesse internacional, a coordenação do esquema de segurança fica a cargo do governo federal. Portanto, quem atuará no interior do Riocentro – um dos principais locais de evento – será a polícia da ONU, a Polícia Federal e as Forças Armadas.

Já a segurança do entorno e de eventos paralelos, como a Cúpula dos Povos, será realizada pelas forças estaduais. A Polícia Militar terá postos de comando fixo no Riocentro, no Aterro do Flamengo, na Quinta da Boa Vista e no Píer Mauá. E a Polícia Civil montará delegacias temporárias no Aterro do Flamengo e Quinta da Boa Vista. Além disso, o patrulhamento será reforçado em túneis e vias expressas, como linhas Vermelha e Amarela, pelas polícias estaduais e Forças Armadas.

    Leia tudo sobre: Rio+20Rio20

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG