Policiais, advogados e jornalistas denunciados na Operação Gladiador recebem penas de até 15 anos e dez meses

A Justiça do Rio condenou nesta segunda-feira (20) 15 pessoas acusadas de envolvimento na disputa pelo controle de caça-níqueis na zona oeste da capital fluminense. Elas fazem parte do grupo de 43 suspeitos denunciado pelo Ministério Público Federal na Operação Gladiador, em dezembro de 2006. As penas determinadas pela 4ª Vara Federal Criminal vão de três anos a 15 anos e dez meses de prisão.

Os envolvidos foram condenados por formação de quadrilha armada, contrabando e corrupção, mas ainda podem recorrer à decisão em liberdade. Entre os réus estão policiais, bombeiros, advogados e jornalistas. Soldados como Carlos Eduardo Pereira Moncada, que teve a penas mais extensa, e Antonio Carlos Macedo movimentavam os caça-níqueis e o dinheiro, além de protegerem os criminosos e seus patrimônios. Já o advogado Sílvio Maciel de Carvalho e o jornalista José Messias Xavier repassavam informações sobre planos policiais para a quadrilha.

Os demais denunciados – como os contraventores Fernando de Miranda Iggnácio e Rogério Andrade – foram julgados em outros processos. As quadrilhas contrabandeavam engrenagens eletrônicas usadas para montar os caça-níqueis. As informações são da Procuradoria da República no Estado do Rio de Janeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.