Os riscos de ter síndromes coronarianas agudas (enfarte agudo do miocárdio ou angina instável) nos meses de inverno são mais elevados que no verão, segundo o médico Reginaldo Cipullo, do Hospital Edmundo Vasconcelos, em São Paulo. Ele explica que a exposição prolongada ao frio provoca constrição dos vasos sanguíneos e elevação da pressão arterial.

"O frio causa alterações no organismo aumentando a atividade do sistema nervoso simpático, o que pode desencadear as síndromes coronarianas agudas", diz.

Cipullo alerta também para o aumento das infecções respiratórias nessa época do ano, cujas inflamações podem resultar em enfartes. "As inflamações resultantes desses quadros infecciosos podem contribuir para o rompimento de placas ateroscleróticas nas pré-existentes nas coronárias causando novos casos de síndrome coronariana aguda."

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.