Rio terá sistema da Microsoft para combater a pedofilia

A Polícia Federal e a Microsoft vão estender ao Rio a parceria que mantém para o combate à pedofilia e demais crimes cibernéticos. O Estado será o primeiro a receber o CETS, programa desenvolvido pela multinacional de softwares que permite rastrear e armazenar dados dos IPs (Internet Protocols) dos usuários que praticam crimes na internet.

Agência Estado |

O diretor de Programas de Engajamentos com o Governo da Microsoft, André Batista, afirmou que o rastreamento será realizado pela troca de informações entre as polícias. "Se houver uma alerta sobre um crime no Rio, o sistema pode indicar que uma ocorrência com as mesmas características acontece em Brasília, por exemplo", explicou o diretor da Microsoft.

Entre as informações que podem ser trocadas entre as polícias estão os servidores e números de IPs suspeitos. "A pedido da Secretaria de Segurança Pública, estamos estendendo o CETS para o Rio. É um programa de rastreamento, que coleta informações e deixa os dados disponíveis para as investigações", disse hoje o diretor da PF, Luiz Fernando Corrêa, após a abertura da V Conferência Internacional de Perícias em Crimes Cibernéticos, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

De acordo com o diretor da PF, os agentes também dependerão de autorização judicial para usar o CETS. "Qualquer interceptação seja telefônica, cibernética ou de dados cai no mesmo sistema. Por isso, o nosso cuidado quando há um desvio de conduta seja de agente público ou de um criminoso que agrida o princípio constitucional da privacidade", declarou Corrêa.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG