Rio tenta voltar à normalidade, chuva continua e mortos somam 96

Por Rodrigo Viga Gaier RIO DE JANEIRO (Reuters) - A chuva continuava a cair nesta quarta-feira sobre o Rio de Janeiro, um dia depois de a cidade entrar em colapso por conta do temporal iniciado no final da tarde de segunda-feira. Ainda assim, a cidade tentava retornar à normalidade ao passo em que o número de mortos em todo o Estado chegava a 96.

Reuters |

Segundo o Corpo de Bombeiros, há informações ainda não confirmadas sobre seis mortes em Niterói, cidade mais afetada pelas chuvas, o que elevaria o total de mortos para 102.

"Do ponto de vista da mobilidade, a situação de hoje é melhor que ontem", disse a jornalistas o prefeito da cidade, Eduardo Paes. "Ainda temos vias fechadas e interditadas... a cidade começa a voltar à normalidade, mas a chuva continua intensa", acrescentou.

Segundo ele, não houve novos deslizamentos ou desabamentos durante a madrugada, mas o risco ainda existe. Ele reiterou o pedido para que moradores de áreas de risco e encostas deixem suas casas. "As pessoas não podem correr risco de vida", declarou.

A situação é mais complicada para o morador da zona oeste da capital, principalmente da Barra da Tijuca, visto que muitas vias que fazem a ligação com outros bairros permanecem interditadas.

"Desloca-se quem puder, mas se puder adiar uma reunião, não precisar ir para o centro da cidade, a gente pede para evitar se deslocar dada as restrições que a gente enfrenta", disse o prefeito.

Paes se reunirá nesta quarta-feira com o governador Sérgio Cabral Filho e com o ministro da Integração Nacional, João Santana, na capital fluminense. Pouco antes, Cabral e Santana se encontrarão com prefeitos de outras cidades afetadas pelas chuvas em Niterói, região metropolitana do Rio.

No Estado ainda há pelo menos 49 pessoas desaparecidas. "O trabalho voltou a todo vapor agora de manhã. Em alguns locais tivemos dificuldade durante a madrugada pela falta de luz ou de condições seguras de trabalho", declarou o cabo Leonard, do Departamento de Relações Públicas do Corpo de Bombeiros.

Os transportes, como trens e metrô funcionavam normalmente nesta quarta-feira. O aeroporto Santos Dumont operava por instrumentos para pousos e decolagens. Dezesseis bairros da capital estavam sem energia elétrica.

A exemplo do que aconteceu na terça-feira, as redes municipal e estadual de ensino não terão aulas nesta quarta-feira. O temporal afetou também o futebol, com o adiamento da partida entre Flamengo e Universidad do Chile, pela Copa Libertadores, que estava marcada para esta quarta-feira no Maracanã.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG