Rio pode usar batalhões e delegacias para tratar pacientes com dengue

RIO DE JANEIRO - O secretário de Segurança Pública do Estado do Rio, José Mariano Beltrame, colocou a Secretaria à disposição para auxiliar no atendimento aos pacientes com dengue. Beltrame ofereceu para a Secretaria da Saúde, as áreas da polícia, como pátios de batalhões e auditórios das delegacias.

Redação com Agência Estado |

Uma provável ajuda viria do Batalhão de Jacarepaguá, localizado na zona oeste, onde é maior a incidência da doença. Segundo a Secretaria, os locais poderiam ser usados para a montagem de hospitais de campanha e de postos de atendimento. A Secretaria de Saúde ainda não se manifestou sobre o oferecimento dos locais.

Confirmação

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro confirmou, nesta terça-feira, a oferta do secretário de Segurança Pública de José Mariano Beltrame. Os secretários estão discutindo as possibilidades de operacionalização do espaço e, por isto, a oferta ainda não foi aceita.

Morte em São Paulo

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo confirmou, nesta terça-feira, que uma moradora de Praia Grande, litoral do Estado, morreu em fevereiro por complicações da dengue. A garota teria contraído a doença em sua própria cidade. É o primeiro caso de morte decorrente de complicações da dengue confirmado em 2008.

Os resultados foram divulgados após um mês pela demora dos exames. Outros três casos com suspeitas de dengue hemorrágica estão esperando a confirmação dos exames no Instituto Adolfo Lutz. Em 2007, 35 pessoas morreram por causa da doença no Estado, sendo que 17 contraíram dengue hemorrágica. Leia mais

Leia mais:

    Leia tudo sobre: dengue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG