Rio inicia desapropriação para corredor de ônibus

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), baixou um decreto no Diário Oficial de ontem para determinar o início da desapropriação dos mais de 3.600 imóveis ao longo do trajeto do Corredor Expresso Transcarioca, também chamado T5.

Agência Estado |

O projeto está orçado em R$ 900 milhões e a previsão é que o trecho Barra-Madureira esteja concluído em 2012.

O T5, segundo a prefeitura, será um corredor expresso viário exclusivo para ônibus articulados que ligará a Barra da Tijuca à Penha e será implantado ao longo de vias com elevado volume de viagens por ônibus, como as avenidas Ayrton Senna, Embaixador Abelardo Bueno, Ministro Edgard Romero, Vicente de Carvalho e Brás de Pina.

O sistema T5 terá 28 quilômetros de extensão por onde circularão linhas expressas e paradoras, num total de 9 linhas. De acordo com a prefeitura, haverá redução de 51% no tempo de viagem. Hoje os passageiros gastam, em média, 96 minutos para fazer o percurso do T5. Com o corredor, serão 47 minutos.

Os ônibus serão articulados com capacidade para 160 passageiros, sem catraca interna. Serão 36 estações (seis duplas), dois terminais (Alvorada e Penha) e 13 pontos de integração. As estações duplas (com linhas expressas e paradoras) são: Autódromo, Taquara, Tanque, Praça Seca, Madureira e Vicente de Carvalho e 30 estações simples (linhas paradoras).

Os 13 pontos de integração são: Alvorada, Autódromo, Praça do Bandolim, Merck, Taquara, Tanque, Praça Seca, Madureira, Vaz Lobo, Vicente de Carvalho, Aquidauana, Praça do Carmo e Penha. De acordo com a prefeitura da capital fluminense, haverá integração físico-tarifária com os principais eixos radiais de elevada capacidade do município: Ramais Deodoro, Belford Roxo e Saracuruna (trem) e Linha 2 do metrô.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG