Rio Grande do Sul tem dez municípios em emergência por seca

Na cidade de Bagé moradores precisam fazer racionamento de água a cada 12h. Perdas na zona rural já chegam a R$ 3,6 milhões

Agência Brasil |

Enquanto no Rio de Janeiro, mais de 650 pessoas morreram por conta da forte chuva que atingiu a região serrana e provocou deslizamentos terra, o Sul do país sofre com a seca.

A estiagem levou a Defesa Civil do Rio Grande do Sul a decretar situação de emergência em dez municípios do Estado: Candiota, Pedras Altas, Herval, Hulha Negra, Cerrito, Santana do Livramento, Lavras do Sul, Pedro Osório, Bagé e Pinheiro Machado. Além disso, Piratini, Aceguá e Dom Pedrito estão em observação e foram notificados de uma possível situação de emergência.

Em Bagé, um regime de racionamento está em vigor e, a cada 12 horas, moradores alternam períodos de fornecimento de água. Em Candiota, a Defesa Civil, distribui água aos moradores da zona rural com caminhões-pipa. A Defesa Civil estima que, na zona rural, houve uma perda de pelo menos R$ 3,6 milhões na produção agrícola e pecuária. No município de Pedras Altas, muitas famílias não conseguem alimentar o gado e cultivar as lavouras.

Segundo o tenente da Defesa Civil do Estado, Aldo Bruno Ferreira, o órgão montou uma operação especial de assistência, que conta com a distribuição de cestas básicas e água potável. "Foram distribuídos até agora, mais de 22 mil litros de água e mais de 25 mil toneladas de alimento para as famílias de pequenos agricultores e moradores da área rural”, disse. Conforme ele, nas áreas rurais muitas famílias usam poços artesianos, e o abastecimento de água é feito com a ajuda de caminhões-pipa, para minimizar a seca.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão é de máxima de 29ºC em Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS) e de 28ºC em Curitiba (PR).

    Leia tudo sobre: secario grande do sulestiagememergência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG