Rio de Janeiro vai tombar 88 jardins de Burle Marx

RIO DE JANEIRO ¿ A prefeitura do Rio vai tombar o conjunto de obras que Roberto Burle Marx, considerado um dos maiores paisagistas do século passado, legou à cidade. Dos 88 jardins já inventariados, 22 estão em imóveis privados, sem acesso público.

Agência Estado |

A decisão foi anunciada pelo subsecretário de Patrimônio Cultural, Intervenção Urbana, Arquitetura e Design do Rio, o arquiteto Washington Fajardo. Segundo ele, o processo deverá ser concluído em 20 dias. Então, faltará apenas a assinatura do prefeito Eduardo Paes (PMDB).

Mas o tombamento não basta. Fajardo reconheceu a necessidade de um mecanismo para garantir a conservação dos bens. Ele afirmou que pretende criar um fundo com objetivo de assegurar recursos para manutenção. A gente não pode deixar de tombar pelo fato de hoje não ter dinheiro para isso. Não podemos mais perder acervos.

Para Fajardo, o tombamento é uma forma de reconhecimento da responsabilidade do poder público. Também é um ato simbólico, comemorativo, mais uma das homenagens, disse, referindo-se ao centenário de nascimento do paisagista. Segundo ele, a plasticidade das obras de Burle Marx alcança grau de erudição, é única, inaugural.

Leia mais sobre: Burle Marx

    Leia tudo sobre: arquiteturaburle marx

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG