Ricky Gervais diminui sobriedade de festa do Globo de Ouro

Fernando Mexía Los Angeles (EUA), 17 jan (EFE).- A sobriedade foi a tônica dominante da festa da 67ª edição do Globo de Ouro, realizada hoje em Los Angeles, monotonia que o apresentador do evento, o humorista britânico Ricky Gervais, tratou de romper.

EFE |

Após 15 anos sem um mestre de cerimônias oficial, a Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA, na sigla em inglês), que concede o prêmio, colocou Gervais para dirigir o evento em busca do toque irreverente do ator, roteirista da sarcástica série "The Office".

O inglês não decepcionou, e em suas aparições, embora breves, falou dos problemas de Mel Gibson com álcool, da cadeia "NBC" que transmitia o programa nos EUA, da relação das famosas com cirurgias estéticas, do caro divórcio de Paul McCartney e da paixão de Angelina Jolie pelo terceiro mundo.

Sem Gervais no palco, a entrega de prêmios perdeu energia, apesar da longa lista de estrelas de Hollywood que apresentaram os prêmios, como Julia Roberts, Leonardo DiCaprio, Jennifer Aniston, Harrison Ford ou Mickey Rourke, que vestia um "look" de vaqueiro.

A crise humanitária do Haiti contribuiu para diminuir o nível de exaltação dos presentes, que mostraram solidariedade em apoio à situação que vive a população do país caribenho, algo que foi notado na austeridade dos vestidos das atrizes.

No evento foram recorrentes as brincadeiras respeito à polêmica no seio da "NBC" sobre a continuidade do apresentador de seu programa estrela "The Tonight Show", atualmente em mãos de Conan O'Brien e que tudo aponta a que em breve voltará a ser conduzido por Jay Leno.

"A única maneira de James Cameron fazer mais dinheiro é sendo contratado pela 'NBC' ou sendo despedido pela 'NBC'", disse o governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, quando citou "Avatar" como candidato a melhor filme e, mais tarde, grande vencedor da noite na entrega de prêmios no hotel Beverly Hilton, em Los Angeles.

"É o melhor trabalho do mundo", disse Cameron quando subiu para receber o Globo de Ouro de melhor filme dramático, pouco após receber também o troféu de melhor diretor.

Robert Downey Jr. também mostrou irreverência quando empregou uma falsa arrogância ao ser agraciado como melhor ator de comédia por "Sherlock Holmes". "Precisavam de mim", disse.

Drew Barrymore foi a mais nervosa das premiadas. Ganhou um Globo de Ouro por seu papel no filme de TV "Grey Gardens", o primeiro de sua carreira, apesar de ter crescido comparecendo a esta cerimônia, segundo disse, desde que "tinha sete anos".

Destacou o momento partilhado por Leonardo DiCaprio e Robert de Niro para apresentar o prêmio honorífico Cecil B. DeMille por toda a carreira do diretor Martin Scorsese.

"Somos como um velho casamento, levamos toda a vida juntos e não dormimos juntos", assinalou De Niro, enquanto DiCaprio comparou o cineasta de "Os Infiltrados" (2006), "Os Bons Companheiros" (1990) e "O Touro Indomável"(1980) com o pintor espanhol Pablo Picasso, pelo legado que deixaram à arte.

"Obrigado, Bob e Leo, falaremos sobre 'esses filmes' mais tarde", brincou Scorsese, insinuando que tinha combinado com os atores futuros projetos em troca de suas palavras carinhosas.

Sem lágrimas, nem discursos emotivos, o evento terminou com Gervais que, após pedir "pela paz mundial", mudou seu discurso para convidar a audiência a ver seu programa de televisão. EFE fmx/fm

    Leia tudo sobre: globo de ouro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG