BRASÍLIA ¿ Depois de uma nova tentativa de conciliação, na manhã desta terça-feira, os funcionários dos Correios decidiram manter a greve por tempo indeterminado. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/07/07/veja_como_agir_se_a_conta_nao_chegar_a_tempo_durante_a_greve_dos_correios_1424422.html target=_blankVeja como agir se a conta não chegar a tempo http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/07/14/grevistas_dos_correios_fazem_protesto_no_palacio_do_planalto_1440545.htmlGrevistas fazem protesto no Palácio do Planalto

O ministro do TST propôs o pagamento definitivo de uma gratificação de 30% aos carteiros, a serem calculados sobre o salário base de cada um e pagos proporcionalmente às horas efetivamente trabalhadas em serviços de coleta e entrega. Se houvesse aceitação, a categoria suspenderia a greve imediatamente. Outro ponto é o pagamento de 50% dos dias parados, além da proibição de demissões pelo prazo de 60 dias, a partir de 18 de julho. O prazo para manifestações formais é 18h do dia próximo dia 16, quarta-feira.

Em reunião entre dirigentes da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) e os grevistas, não foram atendidas as reivindicações da categoria. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, Moyses Leme, informou que espera que o presidente Lula se manifeste sobre a paralisação.

Não chegamos a um acordo. A ECT apresentou uma nova proposta de adicional de risco e um plano de cargos e carreiras incompleto. Temos um entendimento que o problema da nossa greve é um problema do Executivo, um problema de autoridade do presidente da republica com o ministro Hélio Costa (das Comunicações) e a ECT, disse Leme.

AE
Carteiros fazem protesto
Carteiros fazem protesto em frente ao apartamento de Lula na Grande SP

De acordo com ele, os Correios apresentaram uma proposta de adicional de risco sobre horas trabalhadas, mas só apresentaram plano de cargos e carreiras para o cargo de carteiro. Queremos discutir essa questão em um sentido mais amplo e vamos trabalhar um adicional para todos os trabalhadores, defendeu.

Sobre o posicionamento do presidente, ele informou que não tem cabimento um presidente da República, no 15º dia de greve não se manifestar. Estamos aguardando um posicionamento dele, informou.

Os Correios foram procurados pela reportagem do Último Segundo, mas ainda não se manifestaram. Até agora, mais de 108 milhões de cartas estão acumuladas e deixaram de ser entregues por causa da greve.

Protesto em Brasília

Cerca de 400 pessoas se reuniram, na segunda-feira, em frente ao Palácio do Planalto, onde foram programadas assembléias e atividades de greve. Os manifestantes aguardavam o presidente Lula para que o termo de cumprimento de acordo de greve, que foi firmado na presença dele, seja cumprido pela empresa. Os funcionários levaram 30 barracas e continuam no local nesta terça-feira.

Roosewelt Pinheiro/ABr
Grevistas reivindicam adicional de risco

Os grevistas reivindicam um adicional de risco de 30% e um plano de cargos e Carreiras. E, enquanto a greve continua, os Correios contrataram mão-de-obra temporária de ação de contingência para tentar driblar a greve.

A ECT divulga, diariamente, os números do acumulo da greve. Na segunda-feira, a informação é de que 66% das correspondências e 95% das encomendas estão sendo entregues.

Leia mais sobre: greve dos Correios

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.