Reunião ministerial começa com orientação sobre eleições

BRASÍLIA- O advogado geral da União (AGU), Luís Inácio Adams, abriu a reunião ministerial desta segunda-feira, por volta das 9h40, explicando aos ministros o que eles podem ou não fazer no período eleitoral. Essa é a primeira reunião convocada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva desde a reforma da semana passada, provocada pela saída dos ministros que disputarão as eleições em outubro.

iG São Paulo |

AE
Ministros empossados na semana passada participam de primeira reunião com Lula

Novos ministros participam de primeira reunião com Lula

Na sequência da reunião, segundo uma fonte do governo, está prevista uma exposição da conjuntura econômica pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Por fim, o presidente encerrará a reunião falando aos ministros o que espera do governo até o fim de seu mandato. Durante o programa Café com Presidente, nesta segunda-feira, Lula afirmou que vai usar a reunião ministerial desta segunda-feira para orientar os novos "jogadores" e garantir que o time continue marcando gols.

"Quando o técnico vai substituir um jogador, sabe, ele chama o jogador e fica fazendo uma pequena preleção ali, que ele tem que entrar pela direita, pela esquerda, pelo centro, que ele tem que chutar para gol, ou seja, o que nós vamos fazer é uma preleção para que o time novo que está entrando em campo faça os gols, sabe?"

A composição dos ministérios mudou na última quarta-feira, quando dez titulares deixaram os cargos para concorrer às eleições de outubro. A maioria deles foi substituída pelos secretários-executivos das pastas.

Os dez ministros empossados são Erenice Guerra (Casa Civil), Wagner Rossi (Agricultura), Márcia Lopes (Desenvolvimento Social), José Artur (Comunicações), Paulo Passos (Transportes), João Santana (Integração Nacional), Márcio Zimmermann (Minas e Energia), Carlos Gabas (Previdência Social), Izabella Teixeira (Meio Ambiente) e Elói Ferreira (Secretaria Especial de Políticas e Promoção da Igualdade Racial).

Atraso

A reunião começou com 40 minutos de atraso sem a presença dos ministros da Saúde, José Gomes Temporão, do Trabalho, Carlos Lupi, e da Secretaria da Mulher, Nilcéa Freire. A situação complicada dos voos do Rio de Janeiro provocou o atraso dos três ministros.

(*com informações da agência Reuters)

Leia também:

Leia mais sobre política

    Leia tudo sobre: ministério

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG