Reunião define mudanças na lei que restringe circulação de caminhões em SP

SÃO PAULO - Na tarde desta quinta-feira (10), uma reunião com o Secretário dos Transportes, Alexandre Moraes, anunciou quais serão as modificações na lei que restringe a circulação de caminhões no centro expandido da capital. Algumas solicitações foram feitas na semana passada pela União Geral dos Trabalhadores (UGT) para que haja mais flexibilidade no tráfego de caminhões em São Paulo.

Yuri Ikeda |

A principal mudança foi a liberação da circulação dos caminhões de terraplanagem, que hoje só estavam permitidos das 10h às 16h, no mesmo horário dos caminhões de concretagem, que circulam das 5h às 16h, segundo o assessor de imprensa da UGT. Em uma obra, a terraplanagem precisa acontecer antes da concretagem, o que justifica o pedido. 

"O secretário nos garantiu que somente o protocolo do pedido, expedido no site da Prefeitura, já garante a livre circulação dos caminhões de terraplanagem, concretagem, máquinas hidráulicas e escavadeiras", revela o assessor. Outra exigência aceita pelo secretário foi a de que não haja proibição dos caminhões tipo VUC (veículo urbano de carga).

Por enquanto, duas reinvidicações não serão atendidas: uma seria para que o caminhão toco, que suporta até 7 toneladas, possa circular de acordo com o rodízio normal de veículos, com o tráfego restrito segundo os finais das placas. A outra, era para que as áreas de maior movimentação de Zona Azul diminuíssem. "A rua perde duas faixas de rolamento e isso prejudica o trânsito", explica Ramos.

A principal preocupação dos trabalhadores, segundo o presidente da União dos Trabalhadores, Ricardo Parah, é de que todos possam trabalhar mas "sem prejudicar o trânsito de Sâo Paulo, que já é caótico". Ramos completa: "o secretário atendeu boa parte das solicitações e os trabalhadores estão satisfeitos com isso".

    Leia tudo sobre: caminhõesrestriçãorodíziotransito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG