Retomada busca a irmãs desaparecidas em lago no DF

Embarcação virou com 10 pessoas a bordo no fim de semana. Causa do acidente é investigada

iG São Paulo |

As equipes de busca do Corpo de Bombeiros retomaram, no início da manhã desta segunda-feira, os trabalhos de procura pelas irmãs Liliane Queiroz de Lira, de 18 anos, e Juliana Queiroz de Lira, 21, desaparecidas no Lago Paranoá, em Brasília, após um naufrágio, na madrugada do último sábado.

Pelo menos 28 homens trabalham nas buscas, que contam com três barcos, dois jet skis e um helicóptero. Um dos barcos está equipado com um sonar, equipamento que identifica a presença de objetos sob a água.

O acidente ocorreu na madrugada de sábado quando a embarcação virou com 10 pessoas a bordo numa região do lago na altura da QL 15 conjunto 09 do Lago Norte, área nobre da capital. O grupo participava de uma festa de aniversário. Duas pessoas - o condutor e um passageiro - conseguiram se salvar, nadando até as margens do lago. Outras seis pessoas foram socorridas pelos bombeiros.

Segundo a Delegacia Fluvial do DF, a lancha, de 23 pés, tinha capacidade máxima para 6 pessoas. Dono e condutor da lancha, José Rocha da Costa, de 33 anos, foi ouvido e declarou que nadou até a margem do lago para chamar por socorro depois que a lancha começou a afundar. Ele foi submetido a exame toxicológico, que detectou uso de bebida alcoólica no limite autorizado por lei.

O caso deverá ser investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal. Apesar de não estar localizada na região litorânea do País, Brasília detém a terceira maior frota de embarcações do Brasil. Perde apenas para São Paulo e Rio de Janeiro.

(*com informações da Agência Estado)


    Leia tudo sobre: acidenteBrasília

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG