Resultado do julgamento de ex-seguranças de René Senna deve sair nesta quinta-feira

RIO DE JANEIRO ¿ O resultado do julgamento dos dois ex-seguranças do milionário René Senna, assassinado em janeiro de 2007, deve ser divulgado na madrugada desta quinta-feira. De acordo com o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), a condenação ou absolvição dos réus está nas mãos do corpo de jurados, composto por cinco mulheres e dois homens.

Redação |

O ex-policial militar Anderson Silva de Sousa e o funcionário público Ednei Gonçalves Pereira são acusados de serem os autores dos disparos que mataram René. Eles foram denunciados por homicídio duplamente qualificado e furto também qualificado. Os réus passaram a noite na delegacia de Rio Bonito, que fica nas imediações do Fórum.

O terceiro dia de julgamento foi retomado nesta quarta-feira, por volta das 13h, com o interrogatório do réu Ednei Gonçalves. Em seguida, estão previstos os debates entre o Ministério Público e os advogados dos réus.

A estimativa é de que os debates durem cerca de nove horas, sendo duas e meia para o MP e os advogados, outras duas horas de réplica do MP e o mesmo tempo para a tréplica da defesa. Em seguida, os jurados seguirão para a sala secreta.

A sentença será lida em plenário pela juíza Roberta dos Santos Braga Costa, presidente do Tribunal do Júri de Rio Bonito. Um forte esquema de segurança está montado ao redor do Fórum de Rio Bonito e a rua está fechada para o trânsito.

Segundo dia de julgamento

AE

Adriana, acusada de encomendar a morte do marido

O segundo dia do julgamento foi encerrado por volta das 2h30 desta quarta-feira, após o interrogatório do réu Anderson Silva. Também foram colhidos os últimos depoimentos das testemunhas. Desde segunda-feira, a acusação ouviu os depoimentos de sete das oito testemunhas convocadas, porque uma não foi encontrada.

Já a defesa, das dez testemunhas convocadas, sendo cinco para cada réu, apenas três foram ouvidas. Uma delas foi a filha única da vítima, Renata Almeida Sena, que prestou depoimento na qualidade de testemunha do juízo, por indicação da promotoria.

Durante seu relato, a herdeira de René Senna disse que a viúva Adriana Ferreira Almeida, acusada de ser a mandante do crime, não cuidava de seu pai. Segundo ela, Adriana não se importava com o fato do milionário sentir dores provocadas pelo diabetes.

Ela contou que René Senna se relacionava bem com os irmãos e que, após o namoro, Adriana passou a restringir o contato com os familiares e até mesmo os telefonemas. Renata falou que a viúva esbanjava o dinheiro do pai.

Decepcionado com o comportamento da companheira, que havia comprado uma cobertura em Arraial do Cabo sem seu consentimento e teria passado o Revéillon de 2007 em Cabo Frio na companhia de um possível amante, René teria anunciado à filha que iria tirar Adriana do seu testamento e de sua conta conjunta. Ao tomar conhecimento da decisão de René, a viúva teria dito que iria aprontar uma para ele e que para isto bastaria falar com Anderson.

Segundo a testemunha, René sentiu-se ameaçado, temendo inclusive pela vida de Renata, que já desconfiava das intenções da namorada do pai. Ela também relatou que recebia do pai uma mesada mensal de R$ 1.500 e que ganhou dele um carro Celta e uma casa em Itaipuaçu no valor de R$ 215 mil. Renata informou, no entanto, que não mora no local por medo de morrer e que reside em outro Estado.

Relembre o crime

Ganhador de R$ 51,8 milhões da Mega-Sena em 2005, René Senna foi morto a tiros ao ser surpreendido quando tomava cerveja em um bar, na localidade de Lavras, no município de Rio Bonito. O milionário estava com amigos, quando dois homens chegaram numa motocicleta e dispararam contra ele. A cabeça foi atingida por quatro tiros.

De acordo com a denúncia do MP, Adriana teria oferecido recompensa a cinco pessoas para que planejassem e executassem o crime. Entre os motivos, seria o de que ela sabia que Senna pretendia terminar o relacionamento e excluí-la do testamento.

Por causa da diabetes, René Senna tinha as duas pernas amputadas. Antes de virar milionário, ele vendia doces na beira da estrada. Em 2005, ganhou sozinho o prêmio da Mega-Sena. Casou-se, então, com Adriana, que é ex-cabeleireira e teria passado a cuidar das finanças do casal. Ela o mantinha afastado da família, acusam amigos e parentes.

Veja mais sobre o caso:

Leia mais sobre: René Senna

    Leia tudo sobre: rené senna

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG