BRASÍLIA - O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, avaliou nesta quinta-feira que sua resposta à manifestação do governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, não foi na mesma moeda. Puccinelli afirmou na última terça-feira que estupraria Minc em praça pública caso o ministro fosse a capital, Campo Grande (MS). O governador também chamou Minc de ¿veado e fumador de maconha¿. Em resposta, Minc afirmou que Puccinelli deveria tratar com mais carinho o homossexualismo que existe dentro dele próprio.

Agência Brasil
Minc não pretende processar Puccinelli

Não foi na mesma moeda porque eu não disse que praticaria um crime, afirmou. Minc reiterou que defende os direitos dos homossexuais e que sua afirmação sobre a sexualidade de Puccinelli foi uma inferência, uma vez que o governador afirmou que deseja cometer um estupro. Sendo os dois homens, estaria caracterizada sua homossexualidade.

"Quando o governador falou (sobre homossexualidade) ele usou para me ofender. Mas eu disse desde o começo que sou defensor dos homossexuais", afirmou.

A equiparação da reação de Minc à manifestação de Puccinelli foi feita pela ex-ministra do Meio Ambiente, senadora Marina Silva (PT-AC). Ela se solidarizou com seu sucessor na pasta, mas considerou a resposta completamente fora do tom. Para ela, "responder na mesma moeda o transforma naquilo que critica".

Leia também:

Leia mais sobre: desmatamento

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.