Categoria quer 28,7% de aumento agora e mais 10% em setembro de 2011. Governo oferece 20%

selo

O governo rejeitou hoje (27) a contraproposta da Associação Nacional de Médicos-Residentes (ANMR) sobre o pedido de reajuste da bolsa auxílio da categoria em 28,7% agora e mais 10% em setembro de 2011. Com isso, a greve da categoria iniciada no último dia 17 deve continuar. Em comunicado, o governo reiterou a oferta feita na semana passada de aumento de 20% a partir de janeiro de 2011.

"O referido porcentual reflete as possibilidades orçamentárias atuais de cada entidade envolvida no financiamento do sistema", declararam os membros da comissão que julga o caso, formada por representantes dos ministérios da Saúde e da Educação e dos conselhos municipais e estaduais de Saúde.

Na nota, o grupo manteve outras propostas, como a licença-paternidade de cinco dias e a elaboração de projeto de lei que garanta a ampliação do período de licença-maternidade de quatro para seis meses.

A paralisação tem a adesão de 19.800 médicos residentes, segundo a ANMR.

Além do reajuste na bolsa auxílio, de R$ 1.916,45 para R$ 2.658,11, a categoria reivindica a extensão do auxílio-moradia e auxílio-alimentação a todo o País - os benefícios são concedidos somente em Brasília. As informações são da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.