Residentes em greve fazem assembleia e programam doação de sangue

Ministério da Saúde garante que greve não está prejudicando o funcionamento dos hospitais

Agência Brasil |

Depois de uma semana de paralisação, os médicos-residentes dos seis hospitais federais do Rio de Janeiro realizam hoje (24) no Hospital da Lagoa, na zona sul do Rio, uma assembleia geral para discutir os direcionamentos e as próximas manifestações da categoria. Logo depois, os residentes farão uma caminhada pelas ruas da zona sul da cidade.

Na próxima quinta-feira (26), os residentes organizarão uma doação de sangue em massa, no Instituto de Hematologia do Rio de Janeiro (HemoRio), no centro da cidade.

No Rio, 80% dos 950 médicos-residentes dos hospitais da Lagoa, Ipanema, Geral de Bonsucesso, Servidores do Estado, Andaraí e Cardoso Fontes aderiram à paralisação.

Segundo a presidente da Associação dos Médicos-Residentes do Estado do Rio de Janeiro, Beatriz Costa, a greve não deve trazer nenhum impacto à população. Ela disse, entretanto, que os residentes estão comparecendo aos plantões emergenciais.

“A paralisação não deveria atrapalhar o bom andamento dos hospitais, porque a categoria não está nos hospitais para fazer o trabalho do médico. Eles apenas terão que trabalhar o tempo pré-estabelecido, sem faltas. No entanto, os residentes têm comparecido aos plantões de emergência”, disse Beatriz.

O Ministério da Saúde confirmou que a greve não está atrapalhando o funcionamento dos hospitais e ressaltou que nem todos os médicos-residentes estão em greve. A categoria quer 38,7% de aumento na bolsa-auxílio. O governo ofereceu 20%.

    Leia tudo sobre: médicos-residenteshospitaisgreve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG