Resgatados 41 corpos de acidente com AF 447

Por Fernando Exman RECIFE (Reuters) - Um navio da Marinha resgatou nesta terça-feira mais 17 corpos de vítimas do voo 447 da Air France que caiu no oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo, elevando o total para 41 corpos retirados do mar até o momento, informaram a Marinha e a Aeronáutica.

Reuters |

Os primeiros 16 corpos resgatados pelas equipes de busca foram levados por dois helicópteros da FAB nesta manhã a Fernando de Noronha, onde passarão por uma triagem antes de serem transportados, na tarde de quarta-feira, para Recife.

"Nós não temos nenhuma estimativa de quanto tempo essa operação (de buscas) vai durar. Ela durará o tempo necessário, dentro das nossas capacidades e limitações", afirmou a jornalistas o capitão-de-fragata Giucemar Tabosa Cardoso, da assessoria de imprensa da Marinha.

Os corpos levados a Noronha estavam a bordo da fragata Constituição da Marinha, que os recolheu do mar no fim de semana junto com um navio francês. A fragata aproximou-se de Fernando de Noronha para que os helicópteros da Força Aérea Brasileira pudessem levar os corpos até a ilha.

Os outros 25 corpos estão a bordo da fragata Bosísio, da Marinha. Estes também serão transportados posteriormente para Noronha com a ajuda dos helicópteros.

"As ações de busca e resgate continuarão durante a noite, a exemplo do que tem ocorrido, e estarão concentradas nos pontos onde foram localizados os corpos", informou a nota da Marinha e Aeronáutica.

IDENTIFICAÇÃO

De Fernando de Noronha, onde os peritos farão uma triagem inicial, os corpos seguem por meio de um avião C-130 Hércules, da FAB, para o Recife, onde serão identificados pelo Instituto Médico Legal da capital pernambucana. Segundo o IML do Recife, peritos franceses chegaram à cidade para trabalhar na identificação dos corpos.

Em Fernando de Noronha serão realizados "inspeção visual, coleta de material genético (DNA), coleta de impressões digitais e a catalogação dos corpos, vestimentas e objetos resgatados juntos a cada vítima", informou em nota a Polícia Federal.

Após essa primeira análise, os corpos serão encaminhados para o IML no Recife. "Os exames de DNA, quando houver necessidade, serão realizados no laboratório da Polícia Federal em Brasília", disse a PF.

As equipes de buscas também têm recolhido do mar destroços da aeronave, que serão repassados à Air France posteriormente para que as investigações sobre as causas do acidente sejam feitas.

A operação de buscas conta com 14 aeronaves, sendo 12 da Força Aérea Brasileira (FAB) e duas da França. Por mar, a operação conta com cinco navios da Marinha brasileira e uma fragata da Marinha da França.

A fragata Bosísio tem capacidade para manter a bordo 20 corpos, cinco a menos do que a Constituição. De acordo com a Marinha, as duas embarcações continuarão as buscas por corpos até o limite de sua capacidade de armazenamento, e só então seguirão para Fernando de Noronha.

Participam da operação 255 militares da FAB e 570 da Marinha. Na quinta-feira chegará ao local um submarino nuclear da França equipado com sonares para ajudar nas buscas pelas caixas-pretas do avião, de acordo com a Marinha brasileira.

O governo francês solicitou ainda o ingresso, em águas jurisdicionais brasileiras, de dois rebocadores de alto-mar que levarão a bordo 40 toneladas de equipamentos para auxílio às buscas dos destroços, informaram em nota Marinha e Aeronáutica.

SENSORES

Nesta terça-feira o Ministério Público do Rio de Janeiro instaurou inquérito para que a Air France e a TAM, que usam aeronaves fabricadas pela Airbus, troquem os sensores de velocidade de seus aviões num prazo de seis meses.

Um problema nos sensores de velocidade é apontado como possível causa para o acidente com o voo AF 447. A própria Airbus já havia recomendado a troca do equipamento e, segundo a Air France, a substituição foi iniciada no dia 27 de abril.

No Brasil, a TAM informou que desde 2007 vem realizando a troca dos sensores de velocidade de seus aviões Airbus A330, após ter recebido uma notificação da fabricante de aeronaves.

A companhia área disse que todos os seus aviões do modelo já foram modificados. Segundo dados da Airbus, a TAM opera 16 aviões A330-200, o mesmo modelo que caiu no domingo.

O voo AF 447 levava 216 passageiros de 32 nacionalidades, sendo 61 franceses e 58 brasileiros. Também estavam a bordo 12 tripulantes, um deles brasileiro.

(Reportagem adicional de Bruno Domingos em Fernando de Noronha)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG