Resgatado corpo de desaparecida em naufrágio no AM

O corpo da aposentada Arlete Santos, de 59 anos, foi encontrando no início da tarde de hoje próximo ao local onde o barco Dona Zilda naufragou na madrugada de domingo, no rio Amazonas, próximo a Itacoatiara, a 170 quilômetros de Manaus. Foi a primeira das seis vítimas encontradas do naufrágio com 41 sobreviventes.

Agência Estado |

Os bombeiros trabalham com a possibilidade de alguns corpos estarem presos nos camarotes ou nos banheiros da embarcação, que ainda continua no fundo do rio.

A suspeita é de que o barco estava com excesso de peso de carga (madeira, farinha, cacau e castanha) e com nove passageiros a mais dos 38 permitidos. Segundo depoimentos de sobreviventes, a embarcação teria afundado depois de bater em um barranco à margem direita do rio Amazonas. "São mais de 35 metros de profundidade e visibilidade zero para os mergulhadores, mas eles já conseguiram fazer a parte humana mais difícil, que é amarrar todo o barco para ser içado à superfície", disse o comandante do Corpo de Bombeiros do Amazonas, coronel Antonio Dias dos Santos.

Ainda hoje, uma cábrea (espécie de guincho em uma balsa) da prefeitura de Manaus segue para Itacoatiara. Segundo Santos, o guindaste deve chegar ao destino amanhã pela manhã. "Aí será mais rápido. O que precisamos é ao menos içar o barco até próximo à superfície, mesmo que ainda não dê para levá-lo até a margem, para facilitar o trabalho dos mergulhadores na busca dos corpos dentro do barco", explicou.

    Leia tudo sobre: amazonas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG