Representação do PMDB é represália, diz Virgílio

O líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), reagiu, em discurso no plenário, à representação registrada pelo PMDB contra ele ao Conselho de Ética por quebra de decoro parlamentar. Virgílio disse que a ação é uma represália contra ele pelo fato de o PSDB ter apresentado ações contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), no colegiado, e avaliou que o peemedebista não tem mais condições do que ele de ocupar o cargo de senador.

Agência Estado |

"Confio muito no plenário da Comissão de Ética da Casa. Nem tudo ali, para mim, é tropa de choque. Confio muito, talvez mais ainda, no plenário conjunto da Casa. (...) Se disserem que meu mandato não cabe, mas cabe o de Vossa Excelência, eu não faria a menor questão de permanecer nesta Casa sob qualquer condição", disse o senador, dirigindo-se a José Sarney, que presidia a sessão na ocasião. "Não agi em nenhum momento em represália a Vossa Excelência José Sarney. Cada dia mais da sua permanência no comando da Casa, significa um dia a mais nessa crise", criticou.

Virgílio disse que, em uma eventual abertura de processo, ele irá se portar com "equilíbrio" e "altivez". "Eu me conheço, devo dizer que, ao longo desse processo, eu não farei nenhuma concessão e não solicitarei nenhuma concessão. Me portarei com equilíbrio, altivez, com apego às minhas convicções e verdades, acreditando que instituição de 183 anos de idade saberá encontrar a melhor embocadura para a sua crise", disse. As afirmações de Virgílio foram feitas antes do dircurso do líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG