Repórteres sem Fronteiras denuncia ameaças e censura a imprensa no Brasil

PARIS - A organização Repórteres sem Fronteiras (RSF) denunciou nesta quinta-feira que houve uma multiplicação dos ataques à liberdade de imprensa no Brasil nos últimos meses.

EFE |

"Durante as últimas semanas, um jornalista e um meio de comunicação foram silenciados por divulgarem informações contra autoridades públicas", segundo a RSF, em comunicado.

"Fazemos uma chamada às autoridades policiais para que levem muito a sério o caso do jornalista ameaçado de morte", declarou a ONG, sobre o caso protagonizado por Carlos Baía, diretor do departamento de Jornalismo da "Rádio Metropolitana de Barcarena", no Pára.

A RSF lembra que Baía foi ameaçado de morte por ter denunciado a existência de irregularidades na Prefeitura de Barcarena.

O comunicado também se refere o caso do jornal "O Estado de S. Paulo", que publicou informações sobre o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney, acusado de tráfico de influência e corrupção.

A organização lembra que, no dia 31 de julho, o juiz Dácio Vieira, do tribunal de São Paulo, proibiu o jornal de publicar a informação. A RSF também aponta que, segundo a "Folha de S.Paulo", o juiz tinha ocupado anteriormente "um cargo de confiança ligado a Sarney, que teria apoiado sua nomeação para o tribunal".

Leia mais sobre:

Leia mais sobre: imprensa

    Leia tudo sobre: imprensasarney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG