Pouco mais de um ano após renunciar à presidência do Senado para escapar de um processo de cassação, o senador Renan Calheiros (AL) retorna ao centro da política como líder do PMDB. Ele conseguiu a maioria dos 20 votos da bancada para se eleger e, como único candidato, será confirmado na reunião marcada para o reinício dos trabalhos da Casa, em fevereiro.

O atual líder, senador Valdir Raupp (RO), desistiu de disputar a vaga por mais dois anos, depois de se certificar de que dois colegas passaram para o lado de Renan. “Conversei com ele (Renan), estávamos numa bola dividida. Mas daí eu fui deixando”, afirmou Raupp, cujo futuro depende da escolha do novo presidente do Senado. No caso de José Sarney (PMDB-AP) ser eleito, não há nenhum cargo prometido a Raupp.

Se der Garibaldi Alves (PMDB-RN), ele deverá substituir a líder do governo no Congresso, Roseana Sarney (PMDB-MA), que confia em decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para ocupar o cargo do governador do Maranhão, Jackson Lago (PDT), no caso de ele ser cassado. Se o eleito for o senador Tião Viana (PT-AC), Raupp será o primeiro-vice presidente do Senado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.