Um dos irmãos de Michael Jackson afirmou, em uma entrevista a um jornal britânico, que membros da família do cantor tiveram uma forte discussão pouco antes da morte do rei do pop por sua suposta dependência dos medicamentos.

Segundo Tito Jackson, vários integrantes da família, alarmados com as informações de que o astro era viciado em remédios, visitaram a residência do cantor.

"Michael fez tudo para que não soubessemos de nada sobre o consumo de medicamentos", declarou Tito.

Mas diante das informações cada vez maiores sobre o assunto, a família começou a se preocupar com a saúde do rei do pop.

"Tínhamos que agir, eu, minhas irmãs Janet, Rebbie e La Toya, e meus irmãos Jackie e Randy", declarou em entrevista ao jornal Daily Mirror.

"Invadimos a casa dele e ele ficou surpreso em nos ver. Fomos a um dos quartos e discutimos. Alguns choravam", prosseguiu.

As causas da morte de Michael Jackson, que faleceu em 25 de junho aos 50 anos, ainda não são conhecidas, mas a polícia investiga o possível papel do consumo de medicamentos.

"Não deixamos de perguntar se o que ouvimos sobre o consumo de remédios era correto. Ele negou o tempo todo", completou Tito Jackson.

tha/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.