Relatório sugere que Câmara de SP não construa anexo

Relatório elaborado ontem pela Comissão de Finanças do Legislativo indicou a necessidade de corte de R$ 17,8 milhões reservados no orçamento da Câmara de Vereadores de São Paulo em 2009 para a construção de um novo prédio de 13 andares, anexo ao Palácio Anchieta. O corte de 5,7% na receita de R$ 312,3 milhões é inferior à redução de 7,5% que a mesma comissão indicou para o orçamento do Executivo, por causa da crise financeira.

Agência Estado |

O projeto para a construção dos novos gabinetes foi executado pela Empresa Municipal de Urbanização (Emurb). No início de novembro, a Câmara autorizou aditamento de R$ 224 mil no contrato com a Emurb para a conclusão do projeto, cujo preço foi de R$ 1,6 milhão, 14% mais caro do que o previsto inicialmente. O próprio vereador Milton Leite (DEM), que agora fez o corte do projeto, anunciou no mês passado que a construção do novo prédio seria um dos principais objetivos do Legislativo em 2009.

“Não dá mais para fazer essa obra com o cenário de crise. Essa rubrica do projeto já foi cancelada e o novo orçamento da Casa será votado sem a previsão do anexo”, afirmou ontem Leite, que não descartou fazer novos indicativos de cortes até a segunda-feira, quando os relatórios dos orçamentos do Legislativo e do Executivo devem ser votados na Comissão de Finanças. No plenário, as receitas irão à votação no dia 19, na última sessão do ano. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG