Relatório final da CPI dos Grampos salva Dantas e Lacerda de indiciamento

BRASÍLIA - A CPI dos Grampos da Câmara dos Deputados chegou ao fim dos trabalhos nesta quarta-feira sem identificar os culpados pela interceptação clandestina que gravou a conversa entre o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO).

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

O relator da comissão, deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), apresentou o relatório final sem indiciar os agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), apontada por reportagens veiculadas na mídia nacional como responsável pelo grampo, e nem o banqueiro Daniel Dantas, acusado pela Operação Satiagraha da Polícia Federal de grampear diretores da Telecom Itália.

Segundo o deputado, não seria possível indiciar Dantas, pois o STF não lhe deu acesso ao conteúdo das investigações das operações Chacal e Satiagraha - ambas investigaram o banqueiro.

No relatório, Pellegrino sugere o indiciamento de policiais, detetives particulares e de sete delegados por prática ilegal de escutas telefônicas. O relator diz ainda que irá encaminhar os depoimentos prestados à CPI por Dantas e pelo delegado federal Protógenes Queiroz, ex-responsável pela Operação Satiagraha, para o Ministério Público tomar o conhecimento.

De acordo com Pellegrino, houve divergências nos depoimentos de Protógenes, do ex-diretor de inteligência da Polícia Federal, Daniel Lorenz, do presidente dos servidores da Abin, Nery Kluwe, e do ex-diretor da Abin, Márcio Seltz. Todos os depoimentos serão copiados ao Ministério Público, que poderá indiciá-los por falso testemunho.

O relatório será votado apenas na semana que vem, pois o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) pediu mais tempo para analisar o texto. Até lá, a oposição promete apresentar voto em separado para sugerir o indiciamento de mais pessoas.

O relator apenas indiciou bagrinhos, peixes pequenos. O caso dos grandes, ele vai passar a bola para o Ministério Público, encaminhando os depoimentos, criticou o deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP).

O presidente da CPI dos Grampos, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), também não descarta apresentar um parecer paralelo com o pedido de indiciamento do ex-diretor da Abin, Paulo Lacerda, por falso testemunho.

Lacerda disse à comissão que apenas "duas ou três pessoas" da Abin haviam participado da Operação Satiagraha, quando, posteriormente, os deputados descobriram que mais de 50 agentes auxiliaram a PF nas investigações ¿ o que seria ilegal.

Leia mais sobre: Operação Satiagraha

    Leia tudo sobre: operação satiagraha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG