O relator setorial da saúde no orçamento de 2009 transferiu 63% dos investimentos previstos pelo governo para atender a emendas de parlamentares. Disputadas acirradamente na peça orçamentária todos os anos pelos congressistas, é por meio das emendas que deputados e senadores conseguem aplicar recursos federais nos municípios e nos estados, ou seja, em suas bases eleitorais.

Dos R$ 2,7 bilhões reservados inicialmente para investimentos em saúde na proposta do Executivo, R$ 1,7 bilhão foi remanejado pelo relator para atender às reivindicações dos parlamentares. O texto está pronto para ser votado na manhã desta quinta-feira (4) na Comissão Mista de Orçamento.

Leia tudo no Congresso em Foco

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.