Relator mantém correção de dívida com União pela TJLP

O relator da Medida Provisória (MP) 449, que permite a renegociação e parcelamento de dívidas com a União, deputado Tadeu Filippelli (PMDB-DF), manteve em seu parecer a correção da dívida pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), de 6,25% ao ano, contrariando o governo, que quer a indexação pela taxa Selic, de 10,25% ao ano. Filippelli leu o seu parecer hoje na sessão da Câmara.

Agência Estado |

O texto foi concluído depois de várias reuniões e negociações entre o PMDB e o governo. O partido decidiu transferir para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva o desgaste político de vetar a TJLP, condição mais favorável para o pagamento da dívida. "O Executivo tem a liberdade de vetar ou não. A mesma prerrogativa que o Congresso tem de derrubar um eventual veto ou mantê-lo", afirmou o relator.

O relator restituiu ao texto o mecanismo da "trava", importante para o governo e que havia sido retirado pelos senadores na votação na semana passada. Pelo mecanismo, devedores que já aderiram a planos anteriores podem migrar para essa nova renegociação com condição mais favorável. Para isso, no entanto, o valor das parcelas não pode ser inferior a 85% do que já vinha sendo pago pelo devedor.

O governo argumenta que o fim da trava causaria uma queda na receita de R$ 400 milhões a R$ 500 milhões por mês. Filippelli considerou que seria grave retirar receita do governo. A intenção do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), é votar a MP na sessão de hoje. Se houver condições, os deputados poderão também retomar a votação da MP 457, iniciada na semana passada. Outros projetos, como o do cadastro positivo, só entrarão na pauta na próxima semana.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG