Relator garante que CPI da Petrobras continua com ou sem oposição

BRASÍLIA ¿ O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras e líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou nesta quarta-feira que acha legítima a manifestação da oposição de abandonar a sessão, mas alegou que os trabalhos devem continuar com ou sem eles.

Camila Campanerut, iG Brasília |

A oposição tem todo o direito de fazer marola. Considero legítima. Se eles abandonarem [a CPI], a gente tem a maioria para aprovar o relatório, afirmou o peemedebista.

Com relação à argumentação da oposição de que os requerimentos ainda não foram votados e uma reunião administrativa também não foi marcada, Jucá alega que cabe ao presidente da CPI, o senador João Pedro (PT-AM), definir a data. Já os requerimentos só serão votados se tiverem a ver com a CPI. 

Agência Senado
Reunião da CPI da Petrobras desta quarta-feira
Segundo Jucá, a comissão ainda tem muitas atividades pela frente: se encerra a parte investigativa e tem início a propositiva, mas o presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, deverá ser chamado para falar.   

A ideia do parlamentar é listar sugestões para alterar a legislação atual, controlar os patrocínios, discutir pré-sal, entre outras medidas.

Abandono

Indignados com a demora para a votação de requerimentos, parlamentares da oposição abandonaram a reunião CPI desta quarta-feira. Minha proposta é a gente se retirar da CPI e encaminhar o que consideramos grave para o Ministério Público. Os depoimentos que queremos realizar são negados. Prosseguir é compactuar com essa farsa do governo, justificou o senador Álvaro Dias (PSDB-PR).

Além do PSDB, os senadores do DEM também analisam a ideia de deixar a comissão. Vamos nos reunir para ver o que fazer, mas prosseguir nessa comissão, só se for em outras condições, apontou o senador tucano. 

Na última audiência ficou combinado que haveria reunião administrativa para discutir requerimentos e procedimentos. Eu não virei a nenhuma reunião enquanto não houver a reunião administrativa. Se for para ficar essa palhaçada que está aí, vamos abandonar, afirmou o senador Antonio Carlos Júnior (DEM-BA). 

A oposição alega que o presidente da CPI marcou o depoimento do gerente da área de exploração e produção da Petrobras, Erardo Barbosa Filho, sem o conhecimento deles. O funcionário da estatal teria avisado nesta segunda-feira que não compareceria e enviou outros representantes da Petrobras no seu lugar. 

Todo o fato ocorreu sem a presença do presidente e do relator a CPI, ambos aliados do governo, os senadores João Pedro (PT-AM) e Romero Jucá (PMDB-RR).

Leia mais sobre: CPI da Petrobras


    Leia tudo sobre: cpi da petrobras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG