Relator da CPMI defende saques restritos e filtros para compras

BRASÍLIA - O relator da CPMI dos Cartões Corporativos, deputado Luiz Sérgio (PT-SP), defendeu na manhã desta terça-feira que os saques com cartões devem ser restritos a poucos servidores. De acordo ele, tal recomendação constará em seu relatório final. Além disso, ele também vai pedir que o Banco do Brasil crie uma espécie de filtro para as compras, proibindo, por exemplo, gastos em free shops.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

A expectativa para a reunião desta manhã girava em torno da continuidade ou não das investigações. Isso porque a presidente da comissão, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), alegou na semana passada que encerraria os trabalhos caso requerimentos de informação e convocação de autoridades não fossem aprovados.

Para evitar o fim da CPMI, integrantes da base aliada se comprometeram a aceitar alguns requerimentos. Nesta manhã, a presidente abriu a sessão e logo em seguida a interrompeu para que membros da base e da oposição chegassem a um acordo sobre o que será ou não aprovado.

Por enquanto a principal divergência está nas convocações de ecônomos (funcionários responsáveis por gastos com cartões) que fazem compras para o casal presidencial. Também não há consenso nas convocações dos seguranças da filha do presidente Lula, Lurian Lula da Silva.

Em relação à convocação de ex-ministros de Lula e de FHC, o relator adiantou que a base estará disposta a aprovar somente aquelas em que o ministro foi interpelado pela Controladoria Geral da União (CGU) e intimado a devolver recursos.

Já a convocação da secretaria-executiva da ministra Dilma Rousseff, Erenice Guerra, não é assunto sequer de debate para a base governista.

Leia mais sobre:

Leia mais sobre: cartões corporativos

    Leia tudo sobre: cpi dos cartões

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG