Rejeição menor dá vantagem a Alckmin, diz especialista

A pesquisa Ibope divulgada hoje mostra que o índice de rejeição da candidata Marta Suplicy (PT) pode ser determinante em um eventual segundo turno com o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, na disputa pela Prefeitura de São Paulo. Na avaliação do cientista político e pesquisador da PUC e Fundação Getúlio Vargas (FGV) de São Paulo, Marco Antônio Carvalho Teixeira, a diferença entre os dois candidatos está recuando já no primeiro turno e é mais favorável ao candidato tucano no segundo.

Agência Estado |

"O candidato Geraldo Alckmin acumula muito menos rejeição que a candidata do PT. Ela precisaria de alguma forma reduzir esse porcentual, trazendo para o seu lado os eleitores que não votaram nela no primeiro turno", afirmou.

De acordo com a pesquisa contratada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela TV Globo e realizada pelo Ibope, Marta Suplicy tem um índice de rejeição de 34% do eleitorado. Esse é o segundo maior índice, ficando atrás apenas de Paulo Maluf (PP): 61% declaram que não votariam nele "de jeito nenhum".

"Ainda teremos muitas pesquisas até a eleição. Eu vou continuar trabalhando. Eleição se ganha no dia, com o voto do eleitor", disse a candidata do PT ao comentar o resultado da pesquisa.

A pesquisa mostrou ainda que Alckmin tem uma rejeição de 13% do eleitorado paulistano, a menor entre os principais candidatos à Prefeitura. "Agradeço a confiança do povo da nossa cidade. Entendo que a nova pesquisa demonstra o reconhecimento às realizações que já fizemos em São Paulo e também às nossas propostas para melhorar a qualidade de vida dos 11 milhões de paulistanos", disse o ex-governador.

Na avaliação do cientista político, vale destacar a queda do prefeito Gilberto Kassab (DEM), candidato à reeleição, de um teto de 13% registrado em pesquisas anteriores para os atuais 10% de preferência do eleitorado. Para Teixeira, esse recuo é muito ruim, já que o atual prefeito compete em pé de igualdade com os seus principais concorrentes em termos de exposição e conhecimento da população.

"Ele não tem muito que fazer para crescer nas pesquisas. Uma alternativa seria tomar algumas medidas políticas e de caráter popular, mas que deixaria claro que seriam eleitoreiras", afirma o pesquisador, ao lembrar que a candidatura Kassab dependeria da "inviabilidade" da candidatura Alckmin, o que não ocorreu.

Procurado pela reportagem, o candidato Paulo Maluf não foi encontrado para comentar os resultados da pesquisa e sua assessoria não retornou os contatos. Já a assessoria de imprensa do prefeito Gilberto Kassab informou que não conseguiu localizá-lo para falar sobre os dados divulgados hoje.

Resultados

Os candidatos Marta Suplicy (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB) apareceram tecnicamente empatados na disputa pela Prefeitura de São Paulo, com ligeira vantagem para Marta, que teve 34%, contra 31% de Alckmin, segundo a pesquisa Ibope.

Em terceiro lugar aparece o prefeito Gilberto Kassab (DEM), candidato à reeleição, com 10%, também em empate técnico com o ex-prefeito Paulo Maluf (PP), que teve 9%. Soninha Francine (PPS) registrou 2%. Como a margem de erro da pesquisa é de 3 pontos porcentuais, Marta pode ter de 31% a 37%, e Alckmin, de 28% a 34%.

Num hipotético segundo turno, Alckmin apareceu à frente de seus dois principais rivais. Contra Marta, registrou 47% a 43%, em situação de empate técnico; contra Kassab venceria por 35 pontos - 58% a 23%. Marta, por sua vez, superaria Kassab por 16 pontos - 51% a 35%.

Registro da pesquisa

A pesquisa Ibope contratada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela TV Globo foi a campo entre 15 e 17 de julho e entrevistou 805 eleitores paulistanos, com intervalo de confiança estimado em 95% e margem de erro de 3 pontos porcentuais. A pesquisa está registrada na 1ª Zona Eleitoral de São Paulo sob o número 01200108-SPPE.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG