Reitor da Unifesp é vice-líder em gasto de fim de semana

A ex-ministra Matilde Ribeiro foi a campeã de gastos com cartão corporativo nos fins de semana. Levantamento do deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), sub-relator de Sistematização da CPI dos Cartões mista, aponta pagamentos com cartão do governo de R$ 51.

Agência Estado |

269,04, somente aos sábados e domingos, entre julho de 2006 e janeiro deste ano. Em seguida vem o reitor da Universidade Federal de São Paulo, Ulisses Fagundes Neto, que gastou com cartão corporativo, apenas nos fins de semana entre junho de 2006 e janeiro de 2008, R$ 37.282,90.

"Não é normal gastos com cartões corporativos acontecerem no fim de semana. O normal é que esses gastos sejam de segunda a sexta-feira", disse Carlos Sampaio. Pelo levantamento, Afonso Ribeiro, do Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro), está em terceiro lugar em gastos com cartão corporativo aos fins de semana: R$ 21.218,08, entre maio de 2004 e julho de 2007. Os pagamentos com cartão feitos por Afonso Ribeiro são em sua maioria na cidade do Rio de Janeiro - apenas cinco foram em cidades próximas à capital fluminense - e em estabelecimentos como papelarias, lojas de informática, de molduras e de fotos. Há ainda uma despesa num estabelecimento denominado Regina Suely Modas Confecção Ltda., onde foram gastos R$ 267,00 no dia 25 de setembro de 2004.

João Belmiro Serra, da Agência de Telecomunicação do Amazonas, é o campeão em saques no fim de semana com cartão do governo. Foram R$ 21.179,00 entre março de 2004 e setembro de R$ 2007. O valor dos saques variou de R$ 170,00 a R$ 1 mil. Em seguida vem Carlos Moreira, do Distrito de Meteorologia de Belém, que sacou R$ 12.850,00 também aos sábados e domingos, entre março de 2005 e julho de 2007 em cinco cidades do Pará. Na terceira posição está Raimundo Silva, da Superintendência do Trabalho do Pará, que sacou R$ 11.800,00 entre outubro de 2005 e setembro de 2007.

Os R$ 970 que o ex-ministro das Cidades Olívio Dutra gastou em padarias de Brasília, com o cartão corporativo, foram usados para pagar cafés da manhã em encontros com jornalistas para a divulgação de projetos da pasta. A explicação foi apresentada ontem em nota do PT do Rio Grande do Sul, atualmente sob a presidência de Olívio, um dia depois de o deputado Índio da Costa (DEM-RJ) divulgar os gastos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG