Reitor da Unifesp admite erros no uso de cartão

SÃO PAULO - O reitor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ulysses Fagundes Neto, admitiu nesta quarta-feira, em entrevista coletiva, ter cometido erros no uso de seu cartão corporativo motivados por falta de orientação. Não recebi as normas por escrito, com instruções claras, afirmou.

Agência Estado |


Ele disse ter devolvido ao erário R$ 27.270 de despesas feitas em seu cartão no ano passado e consideradas irregulares pela Controladoria Geral da União (CGU).

Segundo ele, outros R$ 12.862 foram devolvidos em seis depósitos, desde 28 de dezembro do ano passado, sendo R$ 7.853 pagos ontem. Ele distribuiu aos jornalistas cópias dos comprovantes de pagamento feitos ao Tesouro Nacional. Sobre duas compras em farmácia, de R$ 614 e R$ 318, o reitor disse ter confundido o cartão corporativo com seu cartão pessoal. "Quando recebi o comprovante de pagamento, percebi o erro e providenciei a devolução do dinheiro."

Fagundes Neto admitiu os gastos com artigos esportivos na Alemanha e com um computador nos Estados Unidos. Ele disse ter acreditado que o cartão poderia ser usado em viagens como o dinheiro das diárias, antes recebido em espécie para gasto livre.

O mesmo equivoco teria levado o reitor a comprar duas malas na China por R$ 2.035. No entanto, ele afirmou já ter ressarcido o valor. "Precisei de malas novas. Depois de inúmeras conexões de vôos elas estavam se desmontando." Fagundes Neto disse que desde janeiro parou de usar o cartão corporativo para evitar novos erros. "Aprendi a lição", afirmou.

Estudantes

Apesar de um grupo de cerca de 50 estudantes ter batucado e gritado palavras de ordem do lado de fora de onde o reitor concedia a entrevista, Fagundes Neto afirmou não temer uma ocupação da Reitoria.

"Não temo invasão no meu gabinete, pois sempre tive um diálogo aberto com os estudantes e ainda prestarei a eles muitas explicações", afirmou. O reitor descarta a possibilidade de vir a ser afastado do cargo pelo mal uso do cartão. "Não há justificativa para afastamento, pois nada do que fiz foi por má-fé."

Cerca de trezentos estudantes dos cinco Campi da Unifesp se reunirão ainda nesta quarta-feira para uma assembléia geral em que serão debatidas formas de protesto. Será votada a possibilidade de ocupação da Reitoria. Para o coordenador-geral do DCE, Tiago Cherbo, as explicações do reitor foram insuficientes. "O reitor parecia não ter certeza do que estava falando e titubeou em suas declarações", disse. "Não foram justificativas concretas."

Na sexta-feira, Fagundes Neto vai se reunir com o Conselho de Entidades da universidade, formado pelo Diretório Central do Estudantes (DCE), sindicato dos servidores, associação dos professores e representantes dos alunos de pós-graduação da Unifesp.

Leia mais sobre: Unifesp

    Leia tudo sobre: cpi dos cartões

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG