Régis Bittencourt segue com trecho interditado e mais de 30 km de lentidão

Uma queda de barreira, ocorrida às 13 horas de ontem, ainda complica a vida do motorista que trafega pela Rodovia Régis Bittencourt nesta quarta-feira, na região de Barra do Turvo (SP), próximo da divisa com o Estado do Paraná. Na Praça de Pedágio de Barra do Turvo (km 542) há 32 quilômetros de lentidão, do km 510 ao km 542. Já no sentido São Paulo há 14 quilômetros de lentidão, do km 1 (PR) ao km 556 (SP).

iG São Paulo |

Segundo a Autopista, a rodovia ainda não foi liberada porque não foi possível retirar toda a terra acumulada na pista. O trecho está bloqueado desde as 13h10 e não há previsão de liberação.

O tráfego é desviado para a pista no sentido de São Paulo, para que os usuários possam trafegar pela contramão entre o km 544 e km 556, um desvio de 12 quilômetros. O tráfego está em meia pista, com uma faixa fluindo para cada sentido. A Polícia Rodoviária Federal e viaturas da Concessionária estão fazendo um comboio para segurança dos usuários.

Para evitar o grande congestionamento, os motoristas podem optar por utilizar outra rodovia, segundo o Departamento de Estradas e Rodagem (DER). A alternativa para quem segue da capital paulista para Curitiba é a utilização da Rodovia SP-250, que começa em Vargem Grande, na região metropolitana de São Paulo. A estrada segue até a cidade de Adrianópolis, já no Paraná, onde é possível pegar o acesso para a BR-476, que segue até a Curitiba.

Para acessar a SP-250, que tem pista simples em todo seu trajeto, existem duas opções. Pela Rodovia Raposo Tavares, indo até o município de Itapetininga, acessando depois a SP-127, no sentido de Capão Bonito, e acessando a SP-250.

Outra opção é usar a Rodovia Castelo Branco, que tem fluxo melhor de veículos em sua pista dupla. O motorista deve seguir até o quilômetro 130 da rodovia e acessar o sentido Itapetininga e, depois, repetindo o roteiro anterior.

No início de janeiro, a  Régis Bittencourt já havia sido interditada  por cerca de duas semanas devido a uma erosão na cabeceira da ponte sobre o Rio Pardinho, localizada no quilômetro 569, no sentido Curitiba, também na região de Barra do Turvo.

Erosão

Segundo o DER, os motoristas devem trafegar com cuidado pela SP-250 por conta de dois trechos parcialmente interditados devido à erosão, causada pelas chuvas do fim do mês de janeiro. Há buracos interditando parcialmente a rodovia em Apiaí e em Ribeira, próximo à Adrianópolis, onde apenas veículos de passeio estão trafegando pelo local.

Leia mais sobre: Régis Bittencourt

    Leia tudo sobre: estradaestradas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG