SÃO PAULO - Os três Estados da Região Sul do Brasil ¿ Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul ¿ ganharam cerca de 250.000 habitantes ¿pretos¿ entre 2006 e 2007. Este número representa 0,9% dos 27,7 milhões de pessoas que vivem no bloco mais setentrional do Brasil. Mesmo com o avanço, a Região Sul ainda é a que concentra o menor contingente de pretos no Brasil: 4,3% de seus moradores. A Região com o maior número é a Nordeste, com 8,5%. A média brasileira é de 7,4%.

Acordo Ortográfico

Os números fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira, e referem-se a 2007, quando ela foi realizada.

Cabe destacar que o IBGE considera preto a cor do representante da raça negra sem traços evidentes de miscigenação. Daí, portanto, os baixos índices desta parcela registrados pela Pnad.

Os mulatos (indivíduos mestiços de brancos e negros), por exemplo, integram, segundo o IBGE, o grupo dos pardos. A participação dos pardos na população do Sul é de 16,3% de seus moradores. Na do Brasil é bem maior: 42,3%.

Por razões históricas, a Região Sul sempre apresentou baixo índice de representantes negros. Ali não existiu o modelo escravagista, que durante décadas foi mantido por escravos negros trazidos da costa oeste da África para trabalhar em fazendas do Nordeste e do Sudeste.

Leia mais sobre: Pnad

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.