Reféns são obrigados a furtar banco, diz polícia

SÃO PAULO - Operários de uma construção e passageiros de um ônibus foram obrigados a ajudar uma quadrilha a furtar dois caixas eletrônicos do Banco do Brasil, crime filmado pelas câmeras da agência da zona leste de São Paulo. As imagens foram divulgadas nesta segunda-feira pela Polícia Civil.

Agência Estado |

Segundo o delegado Ruy Ferraz Fontes, da Delegacia de Roubo a Bancos do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), antes do ataque o bando furtou um ônibus para fechar a rua. Em seguida, obrigou os passageiros e operários de uma obra próxima a ir até a agência.

Sob a mira de fuzis, os reféns chutam os caixas eletrônicos de auto atendimento para eles se deslocarem do piso e os carregam até uma Fiorino. O crime ocorreu em 4 de fevereiro e ninguém havia sido preso. Há poucos dias, porém, dois dos bandidos foram detidos em flagrante ao tentar roubar mais um caixa, desta vez do Itaú, em Mauá, na Grande São Paulo. Um terceiro comparsa do roubo na Vila Ré também acabou preso. Outros nove, porém, seguem foragidos. Segundo investigadores, cerca de R$ 200 mil foram levados pelos criminosos.

Segundo investigadores, cerca de R$ 200 mil foram levados pelos criminosos. O número, porém, não foi confirmado até a noite desa segunda. A quadrilha agiu com tranquilidade, em 35 minutos, apesar de o alarme ter tocado. Na saída, um dos bandidos estourou uma porta da agência a marretadas. Treze vítimas e 12 bandidos foram filmados. Para o delegado, já está comprovada a participação da quadrilha em cinco roubos a caixas eletrônicos. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: assalto

    Leia tudo sobre: assalto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG