Rede McDonald´s é acusada de explorar funcionários

Denúncia feita em audiência pública afirma que funcionários ficam em sala à disposição do McDonald´s sem receber por isso

iG São Paulo |

A rede de lanchonetes McDonald's foi acusada de explorar funcionários sob o pretexto de utilizar uma jornada de trabalho "móvel e variável", durante audiência pública realizada no Senado. De acordo com a denúncia feita pelo Sindicato dos Trabalhadores no Comércio e Serviços em Geral de Hospedagem, Gastronomia, Alimentação Preparada e Bebida a Varejo de São Paulo e Região (Sinthoresp), nos momentos de menor movimentação nas unidades da rede, parte dos empregados permanecem em uma "sala de break", onde ficam à disposição do McDonald's, sem receber pelo horário em que ficam ali.

A denúncia afirma ainda que funcionários, em alguns meses, recebem menos de R$ 230. O diretor de relações governamentais do McDonald's, Pedro Parizi, disse durante a audiência que a rede tem cerca de 40 mil funcionários em todo o país e "talvez tenha cometido um ou outro deslize".

"As exceções não podem se tornar marcas de uma empresa. Se isso aconteceu, estamos aqui para dialogar", afirmou Parizi, ressaltando que o McDonald's vem adotando diversas ações para evitar problemas como esse.

Em nota, a empresa Arcos Dorados, representante da marca McDonald’s no Brasil, afirmou que paga todas as horas em que o funcionário "está à disposição no restaurante, desde o momento em que chega até o que sai" e que paga o piso salarial determinado por todos os sindicatos da categoria. "A empresa informa que apurará qualquer caso que fuja à sua política aqui externada e que qualquer episódio pontual deve ser tomado como exceção e não como a política corporativa da empresa", diz o documento.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG