A Record reabriu os escritos do Antigo Testamento e remontou à antiga Pérsia, em 400 a.C, para narrar na TV a história da rainha Ester, judia que toca o coração do rei da Pérsia e livra os judeus das torturas do povo amalequita.

Com a atriz Gabriela Durlo à frente da minissérie, a Record estreia amanhã, às 23h, A História de Ester, e abre a safra de obras bíblicas no canal.

Vivian de Oliveira, que colaborava com Tiago Santiago na trilogia Os Mutantes, recebeu a missão de adaptar os dez capítulos do Livro de Ester. Ela já tem em mãos a história de Sansão e Dalila e outras figuras da Bíblia. Para a primeira produção, a Record disponibilizou R$ 500 mil por capítulo ao diretor João Camargo, para recriar a Pérsia antiga com detalhes.

Alexandre Farias, diretor de arte, tirou do longa Alexandre (2004), de Oliver Stone, referências para desenhar mais de 60 tipos de armas, cálices e bandejas. As peças foram feitas por artesãs.

Marcelo Ancillotti, maquiador responsável por produções como A Muralha (2000) e Mad Maria (2005), ambas da Globo, separou para cada etnia um tom de pele e encomendou 100 tipos de barba e perucas. Edson Galvão, outro ex-global, agregou o alto luxo aos figurinos e confeccionou as roupas do elenco só com seda e linho. Na cenografia, peças foram banhadas a ouro e tingidas artesanalmente. O orçamento da emissora do bispo Edir Macedo ainda incluiu reproduções de peças do Museu do Louvre, em Paris.

Coube a um historiador especializado em história antiga ajudar nas minúcias. Ao elenco, foi recomendado um estudo independente. A protagonista Gabriela Durlo, que em Vidas Opostas (2006) viveu uma prostituta, teve o apoio do reverendo de sua igreja (a anglicana) para estudar a Bíblia. "Antes eu vivia nas ruas do Rio visitando prostitutas. Agora, estou estudando a Bíblia." As informações são do Jornal da Tarde .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.