A Polícia Civil de Limeira, município a 151 quilômetros de São Paulo, fez hoje, em 40 minutos, a reconstituição do assassinato do comerciante Altair Aparecido dos Santos. Ele foi morto com um tiro no peito no dia 16, depois que parentes e amigos deixaram sua chácara, onde ocorreu um churrasco do oitavo aniversário de seu único filho.

Altair foi um dos 14 ganhadores de um prêmio de R$ 16 milhões da Mega-Sena em maio do ano passado. A família da vítima não participou da reconstituição.

Diego Sebastião dos Santos, 21 anos, preso ontem e que confessou o crime, disse que a ação entre chegar ao condomínio pelo terreno baldio nos fundos da casa, escolher a chácara que ia roubar, vigiar o local até as pessoas que estavam no churrasco saírem, pular o muro de três metros de altura e anunciar o roubo durou aproximadamente uma hora e meia. Participaram da reconstituição o titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), João Batista Vasconcelos, três investigadores, peritos da Polícia Técnica e o suspeito.

"Para nós, da investigação, não mudou nada. Talvez ajude a Polícia Técnica", afirmou o investigador Gildo Ciola. A polícia acredita que dois outros homens tenham ajudado o suspeito. Em entrevista ontem, na Delegacia Seccional de Limeira, Diego afirmou ter agido sozinho e estar arrependido. Ele contou que pretendia roubar a residência de Altair e só atirou porque Altair teria reagido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.