Recomeça o julgamento de Jackson Lago, governador do Maranhão

O julgamento do pedido de cassação de Jackson Lago (PDT), governador do Maranhão, e de seu vice, Luiz Carlos Porto, já começou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Redação com Agência Estado |

Segundo o TSE, o pedido de cassação foi apresentado pela coligação Maranhão, a Força do Povo, de Roseana Sarney, a provável sucessora de Lago. No momento, o relatório está sendo lido, para depois serem feitas a defesa e a acusação dos réus.

O relator do caso, ministro Eros Grau, já havia votado pela cassação do governador. O recurso estava na pauta do tribunal no último dia 19, mas não foi julgado porque o ministro Fernando Gonçalves passou mal no dia e alegou que não teria condições de comparecer à sessão.

Lago será julgado por abuso de poder e compra de votos na eleição de 2006. Se a cassação for confirmada pelos ministros, a segunda colocada nas eleições, a senadora Roseana Sarney (PMDB-MA), assumirá o governo do Estado.

AE
Jackson Lago será julgado por abuso de poder e compra de votos

Apesar do prazo pequeno entre os dois julgamentos, há quem diga que a Justiça Eleitoral deveria ter agido mais rapidamente - nos dois casos, as irregularidades teriam acontecido há mais de dois anos, e ainda há seis governadores na fila da cassação.

O cientista político Humberto Dantas, conselheiro do Movimento Voto Consciente, cita o caso de Cunha Lima - cassado somente 25 meses depois da posse - como exemplo de lentidão da Justiça. A cassação de governadores e prefeitos é o tema que mais causa impacto na sociedade, ao paralisar todos os projetos sociais, afetando fortemente toda a população. Qual a razão de demorar tanto? Em sua visão, a legislação brasileira sobre o assunto destaca-se por regras pouco claras e instabilidade.

Ex-presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo, o desembargador aposentado Alvaro Lazzarini discorda de Dantas. A Justiça Eleitoral é a mais ágil do País, reconhecida internacionalmente como um exemplo de celeridade, disse.

Segundo ele, os processos são demorados porque os advogados interpõem muitos recursos, de forma legal, para ganhar tempo. Além disso, é uma decisão delicada cassar alguém que foi eleito pelo povo. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia também:

Leia mais sobre: Jackson Lago

    Leia tudo sobre: jackson lago

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG