Basta o receituário ser emitido em duas vias. Nova regra exige que uma via seja retida no ato da compra

Os receituários comuns podem continuar sendo utilizados por médicos e dentistas para a prescrição de antibióticos, desde que sejam feitas receitas em duas vias (carbonadas, fotocopiadas ou impressas). Não é preciso usar a receita de controle especial.

A ressalva foi feita pelo presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Dirceu Raposo de Mello.

Uma nova regra para venda de antibióticos havia entrado em vigor dia 29 de novembro e obriga farmácias a reter receitas de antibióticos. Isso tornaria necessário o uso de receituários especiais, emitidos em vias duplas.

Mas o presidente da Anvisa esclareceu que essa interpretação da medida estava errada. Receituários simples, em duas vias, são suficientes para a venda dos medicamentos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.