Por Fabio Murakawa SÃO PAULO (Reuters) - A Receita Federal encontrou mais 25 contêineres com lixo doméstico no porto de Santos, e a Polícia Federal investiga a participação de brasileiros em Londres em um esquema de envio desse tipo de carga ao Brasil, informaram autoridades nesta sexta-feira.

"Há uma investigação em curso para apurar a participação de um brasileiro ou de um grupo de brasileiros em Londres no envio desse tipo de carga ao Brasil", disse o delegado da Polícia Federal Luiz Carlos de Oliveira, da Delegacia de Polícia Marítima de Santos.

"Ainda é uma suspeita que não está confirmada", afirmou, sem dar mais detalhes sobre os suspeitos.

Segundo ele, a carga encontrada nesta semana continha cerca de 400 toneladas de lixo. Ela se soma a outros 64 contêineres com 1.200 toneladas de lixo tóxico e doméstico que haviam sido enviados aos portos de Santos (SP) e Rio Grande (RS).

"É o mesmo tipo de lixo encontrado nos outros carregamentos, mas com lixo tecnológico junto, como caixas de CDs e peças de computadores", disse Ingrid Oberg, chefe regional do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Santos.

Nos carregamentos anteriores, fiscais encontraram seringas, camisinhas, banheiros químicos, lixo hospitalar, fraldas usadas, tecidos, cartelas vazias de remédios, pilhas, entre outros produtos.

Segundo Ingrid, essa última carga chegou a Santos sob a fachada de polímero de etileno para reciclagem, a exemplo dos outros carregamentos.

Ela estava abandonada no porto desde o final do ano passado e foi descoberta após uma investigação da Receita Federal com base nos carregamentos que já haviam sido encontrados em Santos e Rio Grande.

Uma companhia inglesa chamada Worldwide Recyclables aparece como a exportadora dos carregamentos, enviados a duas diferentes empresas de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul.

As importadoras e a empresa que fez o transporte da carga serão multadas pelo Ibama em mais de 230 mil reais cada uma, disse ela. O valor da multa será definido após uma pesagem da carga.

O Ministério do Meio Ambiente informou na quinta-feira, por meio de sua assessoria de imprensa, que encaminhará nos próximos dias uma série de recomendações ao Itamaraty sobre como abordar as autoridades britânicas sobre esse tema.

As recomendações terão como base a Convenção de Basileia, da qual tanto o Brasil como o Reino Unido são signatários e que desde 1992 regulamenta a movimentação de resíduos perigosos através de fronteiras.

Em nota, a embaixada britânica se disse na quinta-feira contrária ao comércio ilegal de lixo e informou que adotará medidas imediatas caso se comprove o delito.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.