Rapper norueguês seria filho de Michael Jackson Por Ricardo Bairos (22.jul) Um rapper da Noruega deve ser o quarto filho de Michael Jackson.

Circulam novamente os rumores de que Omer Bhatti, de 25 anos, foi o primeiro filho do cantor. Ele teria nascido de um encontro único entre o popstar e uma fã, em 1984. O motivo da volta do rumor foi a presença do rapper no memorial público do rei do pop, realizado no dia 7, no Staples Center, em Los Angeles. Fotos mostram que ele estava sentado entre Prince Michael, filho de 12 anos do cantor, e sua irmã mais velha, Rebbie, de 59 anos. Com um terno preto e óculos escuros, Bhatti parecia mais um integrante da família.

Além de sua presença no evento, outro fator tem chamado a atenção da mídia: sua semelhança com o filho mais novo de Jacko, Prince Michael II, de 7 anos, também conhecido como Blanket. O rapper teria ficado em Los Angeles depois do memorial e teria pedido um teste de DNA para provar de vez que é filho do popstar.

Jackson teria contado para amigos próximos algum tempo atrás que teria engravidado uma fã norueguesa depois de um encontro único. Sua mãe, Pia, e seu padrasto de origem paquistanesa, Riz, chegaram a morar em Los Angeles no fim dos anos 90, e a trabalhar para o cantor, como babá e motorista, respectivamente.

A presença de Bhatti foi conhecida pelo público em 2003, quando uma edição especial do programa de TV "Dateline", da NBC, mostrou um vídeo caseiro de 1998 em que ele recebia presentes do cantor. A reaproximação da família com o músico teria ocorrido depois de um encontro em 1996, na Tunísia, quando Bhatti teria impressionado o cantor com seus passos de dança.

Fontes próximas ao cantor acham, no entanto, que a ideia de que ele era pai do garoto não passava de uma fantasia de Jackson. Depois de 1996, o menino passou a ser fotografado com o cantor com freqüência, sempre como uma espécie de mini-sósia do popstar. Em 2001, Jackson dedicou seu último álbum de estúdio, "Invincible", para Benjamin Hermansen, um amigo norueguês de Bhatti, de origem africana, que havia sido assassinado por neonazistas em Oslo.

Bhatti também estava no rancho de Neverland em 2003 quando a polícia de Santa Bárbara invadiu a propriedade em busca de provas de que o cantor havia molestado sexualmente um menino de 12 anos. Logo depois do incidente, a família voltou para a Noruega, mas Bhatti garante que manteve contato com o cantor. (Planet Pop)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.