Raios já mataram 72 pessoas no Brasil em 2010

Noventa por cento das mortes ocorridas no país se deram em circunstâncias que poderiam ter sido evitadas

Agêcia Brasil |

Levantamento preliminar feito pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostra que até a primeira semana de novembro 72 pessoas morreram no país atingidas por raios. Nos 12 meses de 2009, 131 pessoas foram mortas devido às descargas elétricas.

No Brasil caem, por ano, cerca de 50 milhões de raios. Desse total, aproximadamente 80% ocorrem entre outubro e março. De 2000 a 2009, o estado em que mais caíram raios, em média, por ano, foi o Amazonas (11 milhões), seguido pelo Pará (7, 3 milhões) e por Mato Grosso (6,8 milhões). No mesmo período, o estado de São Paulo registrou o maior número de mortes (230), seguido pelo Rio Grande do Sul (106) e por Minas Gerais (99).

Dados do Inpe indicam que a média de mortes ao ano provocadas por raios, entre 2000 e 2009, foi de 131. "Noventa por cento das mortes ocorridas no país se deram em circunstâncias que poderiam ter sido evitadas se as pessoas tivessem mais informações e se seguissem as recomendações de proteção", afirma o coordenador do Elat, Osmar Pinto Junior.

Segundo o instituto, em dias de temporal, é prudente afastar-se de postes de iluminação, árvores, cercas de arame farpado e sair imediatamente da praia ou piscina ao menor indício de raios ou trovões. Deve-se evitar locais onde você seja o objeto mais alto em relação ao chão.

Também é prudente, de acordo com o Inpe, evitar falar ao telefone, principalmente os fixos com fio, pois o fio transporta a corrente elétrica de um raio. É sempre recomendável utilizar, dentro de casa, o telefone sem fio. Além disso, não é aconselhável usar o celular na rua quando houver raios. A interferência gerada por uma descarga próxima pode danificar o aparelho e causar leves queimaduras no rosto.

O Inpe alerta que o maior perigo é ficar em local descampado, como os campos de futebol, as pastagens, estradas, montanhas ou à beira de lagos. Procurar abrigo debaixo de árvores é um erro muito comum e pode ser fatal. Se não for possível entrar em uma residência, o melhor é ficar agachado no chão, com as mãos na nuca e os pés juntos.

    Leia tudo sobre: raiosmorteacidente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG