Última Parada 174 é o representante brasileiro no Oscar 2009 - Brasil - iG" /

Última Parada 174 é o representante brasileiro no Oscar 2009

RIO DE JANEIRO ¿ O filme Última Parada 174, de Bruno Barreto, vai representar o Brasil na disputa por uma indicação na categoria de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar 2009.

Redação |

Acordo Ortográfico O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (16) pelo secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura (MinC), Silvio Da-Rin, em coletiva de imprensa no Rio de Janeiro. Quatorze filmes estavam na disputa, entre eles "Chega de Saudade", "Meu Nome Não é Johnny", "O Passado" e "Os Desafinados".

O longa-metragem foi escolhido por uma comissão composta por seis profissionais da área audiovisual ¿ Antonio Alfredo Torres Bandeira, Cleber Eduardo Miranda dos Santos, Silvia Maria Sachs Rabello, Maria Dora Genis Mourão, Giba Assis Brasil e Paulo Sérgio Almeida. De acordo com Da-Rin, a decisão pelo filme de Barreto não foi unânime, e sim consensual.

A ausência entre os pré-candidatos de "Linha de Passe" ¿ vencedor do prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes e muito bem recebido pela crítica nacional e estrangeira ¿ foi admitida pelo secretário do MinC. "'Linha de Passe' com certeza seria um importante concorrente, pois tem muitos méritos." Da-Rin, no entanto, disse respeitar a decisão do diretor Walter Salles ("Central do Brasil", "Diários de Motocicleta"), que em comunicado à imprensa afirmou que não conseguiria ao mesmo tempo promover seu filme internacionalmente e encabeçar a campanha brasileira ao Oscar.

Última Parada 174 ainda nem estreou comercialmente no País, mas como uma das regras previstas no regulamento do MinC exige que o filme tenha ficado em cartaz por pelo menos sete dias até o final de setembro, o longa usou o mesmo procedimento adotado por Tropa de Elite em 2007 ¿ desde a última sexta-feira, ele está sendo exibido em uma sala de Jundiaí/SP, apenas por uma semana, para só estrear nacionalmente em outubro, depois da première no Festival do Rio.

Michel Gomes é o protagonista de "Última Parada 174" / Divulgação, Paula Prandini

Apesar de ser um filme de ficção, o roteiro de "Última Parada" é baseado na história real de Sandro do Nascimento, menino de rua sobrevivente da chacina de Candelária, no Rio de Janeiro, que anos mais tarde, em 12 de junho de 2000, sequestrou um ônibus na capital carioca. O caso foi transmitido ao vivo por quatro horas pela televisão e teve um desfecho trágico. A história foi o tema do premiado documentário "Ônibus 174", a estreia no cinema de José Padilha, diretor de "Tropa de Elite".

De acordo com Da-Rin, "Última Parada 174" é o filme que melhor representa a sociedade brasileira contemporânea. Além disso, destacou a qualidade técnica do elenco, o roteiro e a boa direção. "Foi o longa que mais emocionou a todos os jurados e mais juntou méritos."

Questionado sobre a violência retratada no filme, fator que a princípio teria influenciado a escolha de "O Ano em que Meus País Saíram de Férias" no ano passado, ao invés de "Tropa de Elite", favorito do público, o júri afirmou que a decisão transcende essa discussão. "Chegamos ao consenso de que o 'Última Parada 174' era a obra que melhor representava a cinematografia do cinema brasileiro, independente de ter polícia e favela", defendeu a professora e montadora Maria Dora Mourão. "É o filme que tem um diretor maduro, competente e que já fez história no cinema brasileiro", completou o secretário do MinC.

Este é o segundo filme de Bruno Barreto a concorrer na categoria de Melhor Filme Estrangeiro: em 1998, o diretor disputou a estatueta por "O Que É isso, Companheiro?", mas perdeu o prêmio para o holandês "Caráter". O Brasil ainda esteve no páreo em outras três oportunidades: em 1963, com "O Pagador de Promessas"; em 1996, com "O Quatrilho" (de Fabio Barreto, irmão de Bruno); e em 1999, com "Central do Brasil".

Em 2004, "Cidade de Deus" foi indicado a quatro Oscars (incluindo melhor diretor, para Fernando Meirelles), mas ficou fora da corrida para filme estrangeiro.

A 81ª edição do Oscar está marcada para 22 de fevereiro de 2009, no Kodak Theater, em Los Angeles. Um mês antes, no dia 22 de janeiro, serão anunciados os indicados de todas as categorias, inclusive de Melhor Filme em Língua Estrangeira. Cada país pode selecionar somente um representante para a disputa.

Para o diretor Paulo Sérgio Almeida, que integrou a comissão do MinC, as chances de se conquistar o prêmio, mesmo com toda a torcida dos brasileiros, são pequenas. "Ninguém sabe o gosto da Academia. É muito difícil ganhar o prêmio e, antes disso, ficar entre os cinco finalistas. A cada ano que passa, fica mais difícil de se chegar ao Oscar", apontou.

E você, internauta, o que achou da escolha de "Última Parada 174"? Dê sua opinião no box de comentários.

* Com reportagem de Anderson Dezan

Leia mais sobre: Oscar 2009

    Leia tudo sobre: oscar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG