Sex Delícia fará comédia com o cotidiano de uma sex shop - Brasil - iG" /

Sex Delícia fará comédia com o cotidiano de uma sex shop

PAULÍNIA ¿ Sexo, muito sexo. É esse o ingrediente principal do filme Sex Delícia, que começou a ser rodado nesta terça-feira (12) nos estúdios cinematográficos de Paulínia, interior de São Paulo. No papel principal está Ingrid Guimarães, que pela primeira vez protagoniza um longa. Para falar sobre o projeto, parte do elenco e da produção reuniu a imprensa na cidade paulista um dia antes de entrar de vez nos estúdios.

Valmir Moratelli, enviado especial a Paulínia |

Valmir Moratelli

Bruno Garcia, Ingrid Guimarães e Maria Paula no set

Personagem de Maria Paula, Marcela vai abordar clientes no seu sex shop. Uma delas, a empresária bem sucedida Alice (Ingrid), descobre que nunca sentiu prazer com o marido, João (Bruno Garcia). Daí surgem diversas situações mais íntimas, comuns a todo sex shop. Tudo sob direção de Roberto Santucci, que assinou "Bellini e a Esfinge" (2002) e "Alucinados" (2008).

Com uma temática tão, digamos, sensível, a produtora Mariza Leão, uma das responsáveis pelo argumento final, conta que teve problema para segurar os patrocinadores. Dois deles desistiram e não quiseram manter o nome associado ao filme. Falaram que não podiam colocar suas marcas num filme que tem sexo no título, diz ela.

Mariza, que já produziu filmes como "Guerra de Canudos" (1997), "Onde Anda Você" (2004) e, mais recentemente, "Meu Nome Não é Johnny" (2008), encara agora sua primeira comédia. Ela acredita que a sociedade encaretou. Os casais viraram mini-empresas, ao encarar como precisam administrar a família e a rotina diária da casa e dos filhos, analisa.

Ainda segundo a produtora, falar de sexo ficou ainda mais difícil após os atentados terroristas de 11 de Setembro. A sociedade ficou mais hipócrita, principalmente a americana. Me diga nomes de recentes filmes eróticos! Não tem. Não há nada nesse sentido. Nos fechamos para o sexo, virou um tabu lidar com o privado de forma natural, diz Mariza. Já para Maria Paula, essa caretice não contagiou as novas gerações. Acho que os jovens não foram para esse caminho. Eles são todos bissexuais, pegam três, quatro pessoas ao mesmo tempo. Quem se maquiou foi a mídia, provoca.

Outra que aproveita o tema do filme para refletir sobre a sexualidade é Denise Weinberg, que interpreta a mãe de Ingrid no filme. O fato da mulher não ter prazer é um tema grave, quase terapêutico. Tratar disso com humor nos faz mais próximos do telespectador, que poderá se ver no filme e levar o papo para as conversas com amigos também, diz.

Entretanto, a escolha pelo caminho do humor, para o diretor, não é acerto garantido. Comédia não é um passaporte para a conquista do público. É preciso ter boas histórias atrás daquilo ali, diz Roberto, que faz uma ressalva para os mais assanhados: não haverá cenas de sexo. No final das contas, a gente só fala, não faz nada, brinca.

Apesar de um tema sempre polêmico e que possibilita várias abordagens, Roberto faz questão de lembrar que o objetivo do filme é entretenimento, com boas doses de fáceis risadas. Adoro fazer filme para o grande público, não vejo mal algum nisso. Trabalho anos em um projeto para isso, para que as pessoas vejam o que preparei com minha equipe.

Chocolate com menta

O elenco parece bastante à vontade com a temática sexual. Ingrid, por exemplo, confessa que gosta de frequentar sex shops. A gente sempre tem uma ponta de vergonha, né? Mas vou sim, de preferência no exterior. Quando viajo, sempre passo em algum lugarzinho. Tem até gel de chocolate com menta!, revela. Maria Paula é outra que se diverte com as novidades que encontra nas prateleiras das lojas especializadas. Gente, hoje em dia tem vibradores que imitam a pele humana. É uma loucura, gargalha.

Bruno aproveita e levanta a bandeira da preocupação masculina frente a tanta opção. Tem uma hora que a concorrência fica desleal. A gente precisa procurar o diferencial, que é o afeto. Aí entra o que nenhuma mecanicidade consegue proporcionar, avisa ele, apontando para os utensílios eróticos que farão parte do cenário do filme. Vários pênis de borracha, gel lubrificante, cordas e calcinhas.

A primeira vez

Meu sonho era fazer filmes e filhos. Que bom que estou fazendo as duas coisas ao mesmo tempo na minha vida, diz Ingrid, que levou a Paulínia sua filha, Clara, de 4 meses. Talvez por isso mesmo, ela diga que entendeu bem os dilemas femininos da personagem que fará no cinema. Preciso arrumar o cabelo, amamentar minha filha, decorar texto, lidar com trabalhos, agenda a mil e ainda preciso estar bem para meu marido. Não é fácil, lista ela.

Essa não é apenas a primeira vez da Ingrid. Além de ser o primeiro roteiro de comédia produzido por Mariza, é também o primeiro trabalho que Maria Paula faz sem estar junto ao elenco do "Casseta & Planeta".

O filme, orçado em R$ 5 milhões, será rodado por duas semanas em Paulínia e, depois, mais quatro no Rio de Janeiro. A previsão é que chegue aos cinemas em outubro desse ano ou em janeiro de 2011.

* O repórter viajou a Paulínia (SP) a convite da produção do filme

    Leia tudo sobre: cinemacinema brasileiroingrid guimarães

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG