O jornal The New York Times publica hoje reportagem sobre a censura ao jornal O Estado de S. Paulo como um dos símbolos do retrocesso da liberdade de imprensa na América Latina.

Desde o dia 31 de julho, o jornal e o portal estadao.com.br estão impedidos de publicar reportagens sobre a Operação Boi Barrica, envolvendo o filho do senador José Sarney.

"Para a família de José Sarney, presidente do Senado brasileiro, a enxurrada diária de reportagens sobre nepotismo e corrupção envolvendo seu nome não dava para aguentar", assim o jornalista do diário americano introduz o assunto, descrevendo a tentativa de Fernando Sarney para bloquear as reportagens, que resultou na proibição da publicação de textos referentes ao caso pelo desembargador Dácio Vieira.

Na reportagem "Jornalistas latino-americanos enfrentam nova oposição", o autor Alexei Barrionuevo diz que a censura ao Estado no caso Sarney exacerbou as preocupações na América Latina liderada por governos populistas de que os "juízes continuam se curvando aos poderosos para censurar jornalistas". O The New York Times cita o cerco aos veículos de comunicação na Venezuela como exemplo. "O que está ocorrendo na Venezuela pode ser visto em outras partes da América Latina", diz Carlos Lauría, coordenador do comitê para proteção de jornalistas. Segundo a reportagem, líderes da América Latina têm restringido cobertura crítica nos jornais e pintam a mídia como o grande inimigo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.