pesquisa do Ibope encomenda pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) que foi divulgada na quarta-feira." / Não acredito que disse aquilo , diz presidente do Ibope sobre avanço de Dilma - Brasil - iG" / pesquisa do Ibope encomenda pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) que foi divulgada na quarta-feira." /

Não acredito que disse aquilo , diz presidente do Ibope sobre avanço de Dilma

O presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, foi o grande surpreendido pela http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2010/03/17/cniibope+mostra+serra+a+frente+de+dilma+mas+em+queda+9430488.htmlpesquisa do Ibope encomenda pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) que foi divulgada na quarta-feira.

Tales Faria, iG Brasília |

Divulgação
Carlos Augusto Montenegro
Carlos Augusto Montenegro
Segundo o levantamento, o candidato do PSDB a presidente da República, José Serra, está apenas cinco pontos percentuais à frente de sua adversária, Dilma Rousseff (PT), que tem a preferência de 30% dos eleitores consultados. Serra agora tem 35% das intenções de voto. O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) registra 11%, e a senadora Marina Silva (PV-AC), 6%. Brancos e nulos somam 10% e indecisos, 8%.

Mas em dezembro do ano passado, na última pesquisa Ibope, a diferença entre Serra e Dilma era de 21 pontos percentuais. O tucano tinha 38% e Dilma, 17%. Ciro Gomes exibia 13% e a senadora Marina Silva, 6%.

Meses antes, Montenegro havia declarado a dois blogs hospedados no iG que não acreditava que Dilma crescesse tanto.

Em 29 de abril do ano passado, Montenegro opinou no blog do Ricardo Kotscho : Dilma deve, num primeiro momento, manter os mesmos índices anteriores. A transferência de votos do presidente Lula para ela chegará mais adiante a um patamar de 15%. A partir daí, será difícil conquistar cada ponto a mais.

Um dia antes, havia declarado ao Blog dos Blogs e à coluna Coisas da Política do Jornal do Brasil : Tudo indica que Dilma Rousseff chegará ao final da campanha com cerca de 15% a 17% dos votos. O favorito continua sendo o governador de São Paulo, José Serra (PSDB). E, se ninguém mais se projetar, é grande o risco de a eleição ser decidida no primeiro turno. O Ciro Gomes (PSB), por exemplo, sai com 14%, mas pode acabar com 6%, 5%, 4%.

Em julho, quando pesquisa do DataFolha detectou uma queda de oito pontos percentuais na vantagem de Serra sobre Dilma, Montenegro insistiu ¿ Continuo  com a mesma opinião. Defendo tudo aquilo que disse antes ¿ sob a seguinte argumentação:

As pesquisas mostram que ela já é conhecida de cerca de 80% do eleitorado. Serra é conhecido de 90% e tem manifestações de votos próximas de 40%. Dilma, com 80% de conhecimento, só tem 16% das pessoas dispostas a elegê-la. Acho que a ministra, sim, está chegando ao teto. Vamos olhar a rejeição à Dilma: bateu em 32,4%. É muito alto. Maior do que a do Aécio e a do Serra.

Na sexta-feira a reportagem do iG ouviu Montenegro sobre suas previsões do passado e a pesquisa atual.

Eu não acredito que disse aquilo. Deve haver algum engano. Numa eleição polarizada, com praticamente dois candidatos apenas, como é que eu poderia achar que a Dilma pararia em 20%? Até o Alckmin teve 40% contra o Lula...

Diante da insistência da reportagem, Montenegro, então, pôs um ponto final no assunto: Estamos em março e é muito cedo para futurologias. Fatos importantes ainda estão para acontecer. O Serra ainda vai definir seu vice. Vêm as convenções partidárias de junho. Vamos ver depois como fica.

Saiba mais sobre Ibope

    Leia tudo sobre: ibope

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG